sábado, 6 de novembro de 2010

Hoje, CECIM CALIXTO, poeta paranaense, comparece com um belo soneto:

         A VOZ DO AMOR
                        Cecim Calixto
Não acreditas num poder intenso
capaz até de sacudir pilares.
Nem acreditas que sozinho eu venço
as tempestades que provêm dos mares.

Faço a alegria e a exatidão do senso
e a melodia da canção dos pares.
Faço clarear todo universo imenso
e crio o Verbo que enobrece altares.

Esfrio a guerra congelando mágoas
aqueço as almas como esfrio as águas
em mutações que a própria mente enseja.

Abro caminho aos vegetais floridos
e encho de vida os corações feridos
porque sou tudo que o mortal deseja.

(Do livro A VOZ DO AMOR, página 15)
Mais informações sobre este autor no site:  http://www.usinadeletras.com.br/exibelotextoautor.php?user=filemonf

Nenhum comentário: