quarta-feira, 25 de abril de 2018

UM NOVO VELHO GOLPE


UM NOVO VELHO GOLPE

Sábado, 21 de abril, feriado. Resolvi ir à agência do Banco do Brasil, na Av. Paranaguá, 1409, perto de casa. Pretendia fazer uma operação corriqueira, uma transferência de numerário. Daí nem celular levei. Na agência não havia quase ninguém. Poucos caixas de autoatendimento estavam funcionando, como costuma acontecer nos fins de semana. Tento num caixa, vou em outro e quando penso que vai dar certo, meu cartão fica preso na máquina. Vai daqui, vai dali e o cartão não sai. Pensei se eu tivesse um martelo... Nisso, uma moça alta, cor branca, cabelos curtos e pretos, usando óculos escuros, se ¨compadece¨ de mim e pergunta o que ocorreu. Explico. Enquanto isso, na tela da máquina aparece uma mensagem perguntando se o meu cartão ficou preso na máquina. Respondo que sim. E outra tela aparece pedindo para digitar o meu CPF. Feito isso, a máquina emite um extrato informando que você deve ligar naqueles telefones para saber as providências possíveis. Uma pane na máquina deixa a tela preta, apagada. Nesse momento, a moça diz agora o Sr. liga pra esse telefone. Mas, como ligar se nem o celular eu levei?  Ela se prontifica e com o papel em sua frente ela liga e diz ao celular que há uma pessoa com o cartão preso na máquina. Passa o celular pra mim que começo a falar com a certeza de que estou falando com a funcionária do banco, que me pergunta se estou falando do meu telefone, com a resposta negativa, ela orienta que vai mandar uma equipe resgatar o cartão, mas solicita o meu telefone e diz não poder falar mais porque estou com telefone de terceiro e que em casa ligaria no meu celular, com as orientações e providências cabíveis. E fez. Ligou confirmando que a equipe resgataria o cartão e o entregaria ao gerente do banco, onde, na 2ª feira, eu poderia retirá-lo. Deu-me nº de protocolo e código de bloqueio. Mas, antes com voz firme e convincente, pediu-me outras informações como senha, nome do pai, da mãe e eu feito um pato, caí no golpe. Este fato se deu entre 10.15 e 10.25. Só depois de uns 40 minutos, a ficha caiu. Um gerente da Casas Bahia, do Center Norte, por nome Vagner me ligou perguntando se eu havia autorizado uma compra no valor aproximado de R$ 4.000,00. Aí eu entendi a gentileza da moça. Pedi ao Vagner para brecar a compra e resumi pra ele o ocorrido. Em seguida liguei para a administradora pedindo o bloqueio do cartão. Mas, na 2ª feira, ao chegar no banco para troca de senha constatei que a desqualificada sacou R$ 2.100,00 de minha conta num terminal em Vila Sabrina, além de ter comprado ou tentado comprar em outros estabelecimentos comerciais, sem a devida identificação. Fui ao 62º Distrito Policial e registrei a ocorrência, o chamado Boletim de Ocorrência nº 1288/2018. Trata-se de uma gangue, uma quadrilha, porque na 2ª feira quando compareci ao banco, uma senhora a meu lado dizia ter sido lesada do mesmo jeito, só que por volta das 13.30. Sabemos que há muitas vítimas, especialmente idosos que ficam à mercê destes larápios que, nos fins de semana transitam nessas agências bancárias. Faltam câmaras, segurança e parece não haver políticas de prevenção com o cliente objetivando travar operação suspeita, como essa e outras que ocorrem, mostrando um sistema cada vez mais sucateado.
Mas fico bem intrigado quando eu titular do cartão quero sacar dinheiro, que o banco me informa que o limite é de R$ 600,00 ou 800,00. Ou será que mudou? Como a picareta conseguiu sacar esse valor? Algum expert em banco pode me explicar? De qualquer forma é bom ficar alerta e evitar o banco no fim de semana.  

terça-feira, 24 de abril de 2018

TROVAS DO FILEMON



TROVAS DO FILEMON

O candidato promete,
o povo acredita e vota.
Faz errado, pinta o sete,
e acha que o povo é idiota.
      
A luta é sempre renhida,
grana do pobre corrói,
quer fazer um pé-de-vida,
um pé-de-enrola o destrói.
      
Saudade – palavra triste,
algum bem que nos deixou.
Palavra que só existe
onde a alegria passou.
      
É noite – a treva domina
e eu não consigo enxergar.
Se você chega – termina
a tristeza em meu olhar.
      
Não olhes para a beleza
quando tu fores votar,
“beleza não põe a mesa”,
diz o dito popular.


domingo, 22 de abril de 2018

TROVAS DO FILEMON

TROVAS DO FILEMON

Perpassa uma brisa mansa
beijando as águas do mar,
enquanto a tarde descansa
e espera a noite chegar.

A brisa passa e sussurra
uma canção de bonança,
e a praia, envolta em ternura,
lembra um lençol de esperança.

Como é bom viver à toa
e sempre fazer o bem,
que a natureza abençoa
quem vive em Itanhaém.

Vejo o mar azul e calmo.
ouço o sussurro do vento
que passa cantando um salmo
às nuvens no firmamento.

(DO LIVRO ANSEIOS DO CORAÇÃO)

quarta-feira, 18 de abril de 2018

TROVAS DO FILEMON

TROVAS DO FILEMON

Não me queixo desta vida,
apesar da minha idade.
Queixo, sim, da despedida
que me trouxe esta saudade.

Quando a amargura me assalta
e a tristeza o peito invade,
eu sinto que a tua falta
vai me matar de saudade.

Nesta manhã reluzente
de sol aquecendo a terra,
vejo a beleza presente
no teu olhar cor de serra.

Entre flores, no meu sonho
estavas nos braços meus.
Mas de repente, tristonho,
acordei ouvindo “adeus”.

terça-feira, 17 de abril de 2018

DESABAFO


                                 DESABAFO


                           Não reclamo da vida turbulenta e triste
                           que a predestinação me faz levar, talvez,
                           nem quero levantar a voz ou o dedo em riste
                           para acusar alguém de tanta insensatez.

                           A consciência cruel por certo não resiste
                           fazer o bem, amar, viver com honradez.
                           É próprio do invejoso que na falta insiste
                           muito disfarce, engodo, mágoa e morbidez.

                           O calvário de Cristo nos mostrou o quanto
                           a Humanidade é mesmo pobre e desprezível,
                           a ponto de matar um verdadeiro santo...

                           E desde então as coisas só se complicaram,
                           o aumento dos Pilatos se tornou visível
                           e os Judas, com certeza, se multiplicaram!

                   
                          

domingo, 15 de abril de 2018

IPUPIARA


IPUPIARA – (Homenagem do poeta à cidade do interior baiano)
Filemon F. Martins

Feliz é quem trilhou estes caminhos
que levam à vibrante Ipupiara,
ouvindo o som de belos passarinhos
numa paisagem deslumbrante e rara.

Ibipetum, Pintada e outros vizinhos
Sodrelândia, Vanique e Caiçara,
Chiquita, Bela Sombra com seus ninhos,
Brejões, Coxim que muito me ensinara.

Jamais vou esquecer... O Olho d´Aguinha,
Veríssimo, Barreiro e até Matinha,
Deus me Livre, Umbaúba e Boa Vista.

Felicidade, então, é ter nascido
e neste berço um dia ter vivido
com gente hospitaleira e idealista!






terça-feira, 10 de abril de 2018

JUDAS MODERNO


JUDAS MODERNO 
Filemon F. Martins

Tu que habitas palácios decantados, 
amante da aparência e do dinheiro. 
Os teus castelos ricos, chumaçados, 
nada serão no dia... derradeiro. 

Tens riquezas e carros importados, 
- contas bancárias pelo mundo inteiro, 
- trabalhadores pobres, explorados, 
tudo para chegares em primeiro... 

Esqueceste do exemplo verdadeiro, 
quando morreu o pobre carpinteiro, 
pregado ao lenho de uma rude cruz. 

Queres poder, és Judas do presente 
vendendo o que aparece pela frente, 
traindo, uma vez mais, Cristo Jesus!