quinta-feira, 16 de novembro de 2017

TROVA DE MARINA BRUNA

ESTA TROVA ABRE O ¨OCEANO DE LETRAS¨ Nº 03, ORGANIZADO E EDITADO POR JOSÉ FELDMAN.

DE CADA GALHO ABATIDO
EM SILÊNCIO A SEIVA ESCORRE,
MOSTRANDO O PRANTO SENTIDO
DE UMA FLORESTA QUE MORRE!


MARINA BRUNA ( FRANCA/SP – 1935 / SÃO PAULO/SP – 2013 )

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

O GRITO DO POETA

O GRITO DO POETA

             

No meu viver de cidadão, proscrito,
carrego a dor imensa do Universo.
Meu canto desolado traz, aflito,
as tristezas do mundo controverso.

De desespero clamo, sofro e grito,
tudo em vão, pois o povo está imerso
na inépcia política do mito,
- não compreende mais o que é perverso.

A Esperança se esvai a cada aurora,
o poder corrompido se agiganta,
parece não haver outra saída...

Meu protesto, em verdade, não tem hora,
minha voz de poeta ainda espanta
os vendilhões da Pátria adormecida!


segunda-feira, 13 de novembro de 2017

DESLUMBRAMENTO

DESLUMBRAMENTO                

Filemon Martins

Não consigo entender porque te quero,
porque te venero, porque te adoro,
porque te amo!

Não consigo entender porque me fascinas,
se teu olhar ardente nunca me pertenceu.
Se tua voz suave nunca me falou de amor.
Se teu sorriso cativante jamais me procurou.
Se tuas mãos macias nunca me acariciaram.
Se teu corpo perfeito nunca me aqueceu.
Se teus lábios doces nunca me beijaram.

Não consigo entender porque esse encantamento
quando me falas, quando te encontro, quando te vejo...
Por que tanto fascínio exerces sobre mim?
Mas entendo que o amor
quando acontece na vida,
deve ser belo e forte,
e poderoso assim!



sábado, 11 de novembro de 2017

PARA REFLEXÃO

PARA REFLEXÃO:


Conta-se que um famoso cientista ao visitar a sala de trabalho de ISAAC NEWTON, viu sobre a mesa um maquinário representando o Universo, com os satélites girando meticulosamente em torno do Planeta Terra. Tudo perfeito. O cientista, então perguntou quem era o autor de tão significante trabalho. Isaac Newton deu-lhe uma resposta inusitada: - não sei quem o fez, simplesmente apareceu sobre a minha mesa. Seu colega retrucou: não pode ser, alguém muito inteligente o fez. Isaac Newton, então, completou: você mesmo diz que o Universo apareceu do nada, de uma explosão estelar. Para mim, Deus foi o Grande Arquiteto do Universo, já para você...

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

NA PRAIA

NA PRAIA
Filemon F. Martins

Caminho, sem destino, pela praia,
- por que me fere a solidão assim?
Percebo que à distância o sol desmaia
talvez para esconder o amor de mim.

O mar, aos prantos, seu furor ensaia
mostrando seu poder quase sem-fim,
mas vou partindo sem que a noite caia
enquanto as ondas fazem seu motim.

Minhas marcas se perdem lá na areia,
porque depois com força a maré-cheia
vem e apaga as pegadas que deixei...

Também a minha sorte me maltrata
como a maré que passa, a vida ingrata
vai apagando tudo o que sonhei!




quinta-feira, 9 de novembro de 2017

NOVA COBRANÇA

NOVA COBRANÇA 
(Filosofando)
Filemon F. Martins 

Se cobro alguma coisa desta vida, 
ela disfarça e vai me respondendo: 
“qualquer dia, meu caro, pago a dívida” 
e sem pensar, aceito e vou vivendo. 

O tempo vai passando e na corrida 
aquele amor, aos poucos, vai morrendo, 
já não sinto esperança na descida 
e o mundo, sem amor, está horrendo. 

A vida dissimula um falso encanto 
que acaba em choro, dor e desencanto 
sem cumprir a promessa que me fez. 

E tudo não passou de ledo engano, 
porque sem fé, sem luz, o ser humano 
carrega a cruz de sua insensatez.

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

A FAVOR DO BRASIL OU DE SUAS CONTAS BANCÁRIAS?

A FAVOR DO BRASIL OU DE SUAS CONTAS BANCÁRIAS?


Recebo esporadicamente um e-mail dizendo: ¨PSDB sempre a favor do Brasil¨. Ora, ora, o PSDB, quem diria, assumiu o lugar do PMDB, que nunca ficou fora do governo. De uma forma ou de outra, o PMDB sempre ocupou lugar de destaque no cenário nacional. Agora, o PMDB assumiu de vez o governo e quem dá sustentação à desastrada política de Temer é o PSDB e mais alguns nanicos que querem ganhar cargos e dinheiro em troca de votos. Por exemplo, defender a Reforma da Previdência sem antes o INSS se mexer para receber suas dívidas é deveras estranho. A Prefeitura de São Paulo vai receber, segundo noticiou a imprensa, R$ 660.000.000,00 (seiscentos e sessenta milhões de reais) referentes a dívidas recebidas, através de acordos feitos com os devedores. Por que diabos o Instituto Nacional de Seguridade Social não consegue receber nenhum centavo de tantos devedores? E o senhor Henrique Meirelles, um dos postulantes ao cargo de presidente da República, ao defender a reforma, nada menciona sobre os devedores do INSS. Mas também não era ele ¨conselheiro¨ da JBS antes dos escândalos? O trabalhador, com certeza, não está devendo, eis que o valor já vem descontado no seu contracheque. Os políticos só pensam em retirar direitos dos pobres trabalhadores e fazem isso com a maior cara de pau. Já não bastam os altos impostos que pagamos em tudo e todos os dias? Já não bastam os aposentados e pensionistas do serviço público federal que pagam 11% dos seus parcos salários? Os economistas acham correto nivelar, em média, os salários dos servidores do Judiciário Federal em quase R$ 25.000,00. Ora, então, alguém está me levando uma grana violenta porque minha aposentadoria nem chega perto de tal valor e ainda por cima, desconta-se 11% todo o mês, graças ao mensalão de Lula. É claro que os economistas/articulistas sabem disso, mas o objetivo é espalhar mentiras e colocar a sociedade contra estes profissionais do Judiciário Federal. Com relação aos impostos, numa compra que fiz num supermercado no valor de R$ 252,71, conforme extrato/cupom fiscal nº 838393, está registrado em OBSERVAÇÕES DO FISCO, que paguei R$ 42,98 para o FISCO. E é assim que o PSDB diz ser a favor do Brasil, apoiando de forma vergonhosa à indigitada política do presidente Temer. A questão levada ao Congresso era para ser investigada ou não, mas os deputados arquivaram a 2ª denúncia contra o presidente, como fizeram com a 1ª, deixando a sociedade perplexa, tais os indícios e as provas apresentadas. O Brasil continua à deriva. O PT foi desastroso na condução do governo federal e agora o PMDB, com o PSDB querem destruir o que sobrou. Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente, ponderou que o PSDB deveria deixar o governo, mas só agora Sociólogo? Há muito tempo esta atitude deveria ter ocorrido, mas hoje, a meu ver, é tarde demais. O estrago já está feito.   O João Dória (PSDB), mal entrou na administração da cidade de São Paulo e já quer ser presidente da República. Geraldo Alckmin, governador de São Paulo   patina num partido que já foi ético e que agora tenta correr atrás do prejuízo. O PSDB parece ter o dom de se dividir internamente. O senador Tasso Jereissati está sendo fritado porque reconheceu num programa político, na televisão, alguns erros cometidos pelo partido. Partidários sem escrúpulos querem a permanência do senador Aécio Neves no comando do partido. De outro lado, Lula num cinismo nunca visto pretende voltar à presidência da República. Há outros nomes por aí e até 2018 outros nomes surgirão.  Que Deus nos livre desses corruptos. Mas, afinal, em quem votar? Quem, no momento, merece a confiança do povo e é capaz de conduzir o país a um porto seguro? Sinceramente, no cenário atual não vejo nenhum nome que possa salvar o Brasil de tanta corrupção. Infelizmente, a Lava - Jato, apesar de todo esforço e das revelações feitas sobre os políticos que temos, a meu ver, ainda não cumpriu sua missão. Tomara que em 2018 tenhamos novidades e que o STF não atrapalhe as decisões dos magistrados da Justiça Federal.  

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

SONETO DO FILEMON

ANTES QUE A NOITE CHEGUE...

                                        Filemon F. Martins

Quando o sol se debruça no horizonte
deixando a tarde bela e mais fagueira,
antes que a lua, pelo céu, desponte,
a saudade se achega e faz trincheira.

Ao longe, em tom avermelhado, o monte
transmite uma quietude verdadeira,
trazendo ao coração o som da fonte
que canta, docemente, em corredeira.

Assim, vou recordando os tempos idos,
sonhos fagueiros, lindos e vividos,
que a memória jamais vai esquecer...

E, antes que chegue ao fim dessa jornada,
terei, por certo, em minha caminhada
muitos versos de amor para escrever.


domingo, 29 de outubro de 2017

DOÇURAS DE RECORDAR

DOÇURAS DE RECORDAR
HILDA PERSIANI  (IN MEMORIAM)


Eu me lembro, eu ainda era bem pequena,
A cozinha, o fogão de lenha crepitando,
Minha mãe ao lado, sua face serena,
Como sempre sorrindo, cantarolando,

Na sala de jantar, a mesa era oval,
A toalha de linho branco, engomada,
Vejo meu pai na poltrona, lendo jornal,
Meus irmãos brincando, dando risada...

Revejo o bibelô na cristaleira,
Sinto o aroma de alfazema pelo ar,
Certamente das flores da cantoneira;

Quanta harmonia havia naquele lar!
São lembranças que guardei a vida inteira...
Quem me dera ter feito o tempo parar !?



DIALOGANDO COM DEUS

DIALOGANDO COM DEUS
Odir Milanez (IN MEMORIAM)


-- Talvez a Vós até pareça leve
mas é pesada, ó Pai, a minha cruz!
-- Quem ao peso que dei clamar se atreve,
se o mesmo peso eu dei para Jesus?


-- Sou um pobre poeta, que Te escreve
em meio à escuridão, temendo a luz!
-- Mas ao poeta o pranto não prescreve,
o sofrimento é a seiva que o seduz.


–- Ele não louva o próprio isolamento,
não procura da vida o adverso
para fazer do verso o seu lamento?


-- Mas o amor, meu Pai, me foi perverso!
Roubou-me a paz, a alma, o pensamento,
e nunca mais me pude avir ao verso!




sexta-feira, 27 de outubro de 2017

AMO (GISLAINE CANALES)

AMO
Gislaine Canales

Amo com toda a força do meu ser.
Amo a beleza, a arte, uma canção.
Amo o eterno desejo de vencer.
Amo os versos que vêm do coração.

Amo as flores, é grande meu querer.
Amo essa amarga e triste solidão.
Amo os sonhos que estou sempre a tecer.
Amo o infinito em sua imensidão.

Amo também a morte, dura e fria.
Amo na morte, toda a ausência e dor.
Amo meu mundo em meio à fantasia.

Amo a tristeza, e mais, amo a alegria.
Amo a vida e esse mundo encantador.
Amo o amor, amo a paz, amo a poesia.

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

TROVAS DE EDUARDO V. VISCONTI

TROVAS DE EDUARDO V. VISCONTI

Da rua bela e curtinha,
chamada felicidade,
vê-se outra longa e sozinha,
que dei nome de saudade...

Minha vida é longa rua
cheia de abismos medonhos,
nela um gênio mau atua,
matando todos meus sonhos!

Bahia, rincão amado,
de céu sempre tão azul,
só penso em ti, exilado

nos pagos tristes do Sul.

terça-feira, 24 de outubro de 2017

TROVAS DE CARLOS R. ROCHA

MAIS TROVAS DE CARLOS RIBEIRO ROCHA
(DO ACERVO DE FILEMON MARTINS)

Enquanto faço uma prece
à luz dos cabelos brancos,
trova amiga, vem, floresce
da vida nesses barrancos...

Dois terços de um livro amargo
a gente, na vida, escreve...
É o mundo - comprido e largo,
e a vida – romance breve!

Meu coração é tear
onde mil quadrinhas teço
com os fios do verbo amar,

- o meu mais caro adereço!

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

TROVAS DE CARLOS R. ROCHA

TROVAS DE CARLOS RIBEIRO ROCHA
(DO ACERVO DE FILEMON MARTINS)

Eis a norma a ser seguida
por quem quer viver em paz:
receba as lições da vida,
dê seu exemplo aos demais.

Nuvens passam pelo céu,
de luz existe escassez,
mas, afastado esse véu,
mostra o céu a limpidez.

Vejam que belo trabalho!
- Nos arbustos, velhos ninhos
são rosas em cada galho

com corolas de pauzinhos...

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

TROVAS DO FILEMON

TROVAS DO FILEMON 

Felicidade é um sonho 
que todos desejam ter 
ao lado do amor, risonho, 
perdurando até morrer. 

Não me fascina, na vida, 
poder ou fama alcançar, 
que a vitória merecida 
é pelo Amor triunfar! 

Minha trova vai surgindo 
quando a noite vai chegando, 
é que a lua vem sorrindo 
e as estrelas cintilando... 

filemon.martins@uol.com.br

OLHAR

OLHAR
                          José Ouverney

Olhar... Mais que um olhar! É feito chama.
Não quero olhar. Passo depressa. Evito
o “olhos nos olhos”: refinada trama
que me mantém desgovernado e aflito.

Olhar que lembra o olhar de quem ama
e ao mesmo tempo foge. Olhar bonito,
puro, perjuro... juro: olhar de cama!
Olhar de súplica! Olhar maldito!

Não quero olhar, não posso olhar. É afronta.
Render-me aos seus encantos de mulher
é um mal que poderá não ter remendo;

mas, de repente, sem que eu me dê conta,
eis-me, outra vez... como quem nada quer...
parado... À espera de um olhar... querendo...

(BALI – LETRAS ITAOCARENSES, página 12)


quarta-feira, 18 de outubro de 2017

TROVAS DO FILEMON

TROVAS DO FILEMON 


A manhã nasce sorrindo, 
o orvalho pousa na flor, 
e o dia fica mais lindo 
se estás aqui, meu amor. 

Passam gaivotas voando, 
o céu azul é um lençol, 
casais na praia se amando 
sob os olhares do sol. 

A noite nunca foi feia, 
embora traga saudade, 
quando vem a lua cheia 
mostrando felicidade... 

www.filemon-martins.blogspot.com 
 

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

ESCADA DE TROVAS - FÉ

ESCADA DE TROVAS – FÉ
Filemon F. Martins

SUBINDO:
“Pondo flores no caminho”
o amor presente se faz
e mesmo estando sozinho
planta a semente da paz.

“Vem de dentro, como a fé”
em silêncio, ela aparece;
é preciso estar de pé
que a bondade vem, floresce.

“Despejada como o vinho”
a verdade humildemente
traz a luz e de mansinho
ilumina a nossa mente.

“Felicidade não é”
impossível a ninguém,
é tão simples, pode até
ser a prática do bem.

NO TOPO:
“FELICIDADE NÃO É
DESPEJADA COMO O VINHO,
VEM DE DENTRO, COMO A FÉ,
PONDO FLORES NO CAMINHO...”

CARLOS RIBEIRO ROCHA (In memoriam)
SALVADOR - BAHIA


sábado, 14 de outubro de 2017

SÚPLICA


SÚPLICA
Filemon F. Martins

Sou um estranho no Planeta Terra,
onde o certo nem sempre prevalece,
onde o forte se impõe, fazendo guerra,
e o amor no coração desaparece.

Vou fugir da cidade para a serra,
quero elevar meu pensamento em prece,
vou meditar, quem sabe assim encerra
essa amargura que dói e não aquece.

Escárnio, ingratidão e desengano,
contaminam a terra e o ser humano,
ninguém escapa ileso a tanta dor.

Suplico, pois, Senhor, que ponha fim
ao desconforto de sofrer assim,
melhor viver à sombra de um amor.









MINHA CASA

MINHA CASA
CARLOS RIBEIRO ROCHA

É pobre e tosca a minha casa e sem
sofás macios, leitos chumaçados,
sem ornamentos nem jardins, porém
mais bela que os palácios decantados.

Pouco importa que a vejam com desdém
os fúcaros mandões e potentados
que gozam sem o Cristo um falso bem
e são, por fim, eternos condenados.

Só tenho em minha casa o necessário:
a mesa, o meu grabato e um tosco armário
e os livros, meus amigos estimados,

junto aos quais tenho dias fulgurantes,
enquanto os sonhos deles bem distantes

vão se tornando turvos e apagados...

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

ABC DE IPUPIARA

ABC DE IPUPIARA (2ª parte)

 JERRY FILHO (21/12/1950- 19/05/2015)

Já falei sério e brinquei, 
mas sempre sou moderado, 
pois nunca me esquecerei 
do nosso prefeito Osvaldo.** 
Homem de valor, bem sei, 
trabalhou como alugado. 

Lembrando dos tempos idos 
quando lá era Fundão, 
amigos – já falecidos – 
lutaram por ser Jordão 
e permanecendo unidos 
coroaram a intenção. 

Muita gente conta a história 
de um Isidoro Ribeiro, 
meu bisavô – isto é glória! 
que sempre foi o primeiro 
a lutar pela vitória 
do seu torrão altaneiro. 

Nada intimidava os bravos, 
sempre a luta era renhida, 
lutando tal qual escravos 
com bravura destemida... 
Fossem pregados com cravos 
a dor não era sentida. 

O nome era até bonito 
mas resolveram mudar. 
Nessa época, o Isidoro dito 
já estava a descansar 
e um outro vulto bendito 
quis essa luta abraçar. 

Para que tenham ciência 
quando surgiu Ipupiara, 
foi com fé e paciência, 
a vitória custou cara, 
pois Brotas, sem consciência, 
liberdade lhe negara. 

Quando a nove, mês de agosto, 
o sol mais forte brilhou 
e Artur Ribeiro, com gosto, 
a emancipação bradou, 
um sorriso em cada rosto 
logo, logo se estampou. 

Realmente, brasileiros, 
cada terra e sua história 
mostra os homens verdadeiros, 
não a aparência ilusória! 
Que os exemplos, companheiros, 
sejam sempre nossa glória. 

Se já sabemos agora 
do presente e do passado 
desta terra que ainda implora 
um pouco mais de cuidado, 
creio ser chegada a hora 
de lutarmos lado a lado. 

Toda luta é conseguida 
com muito esforço e união, 
a nossa terra querida 
merece nossa atenção, 
lutar por sua guarida 
é dever do cidadão. 

Uma vez que os conclamei 
a um grande esforço e união, 
há muita coisa que sei 
precisar de um empurrão: 
unir o progresso à LEI, 
ORDEM, JUSTIÇA E RAZÃO. 

Vamos, nossa Ipupiara, 
pois tu também és Brasil! 
Mostra essa pujança rara 
nesse Sertão varonil, 
e essa gente que te encara 
renderá louvores mil. 

Xeque-mate! Não tem jeito. 
Posso sorrir e cantar! 
O coração satisfeito, 
não para de palpitar. 
A Deus eu rendo meu preito 
por Ele aqui me ajudar. 

Zelarei desse meu dom 
e de Ipupiara também! 
Não sou ruim e nem bom, 
isto não nego a ninguém; 
só consigo escrever com 
vontade de ver o bem. 

(Do livro CENTELHAS DO ALÉM-JERRY FILHO/JAN. 2000) 



** Osvaldo Leite da Silva foi prefeito de 1971 a 1972, 1977 a 1982 e 1993 a 1996. Ipupiara faz fronteira ao norte com Gentio do Ouro, ao leste, com Barra do Mendes e ao oeste e sul, com Brotas de Macaúbas. 

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

ABC DE IPUPIARA (1ª parte)

ABC DE IPUPIARA (1ª parte)

JERRY FILHO (21/12/1950 – 19/05/2015)


Agora quero mostrar 
nas minhas rimas sem tom, 
o que ninguém quis falar. 
Falarei em alto som! 
Preciso então me inspirar, 
do alto buscar o dom. 

Bem: se eu já fiz a promessa 
é certo que vou cumprir, 
senão a graça me cessa 
e vergonha vou sentir. 
Eu preciso sair dessa 
sem ninguém me repelir. 

Como disse no começo 
há um fato por narrar 
e disto jamais esqueço. 
Um abraço vou mandar, 
com todo ardor, todo apreço, 
e de IPUPIARA falar. 

Daqui pra frente, senhores, 
nesse Universo de Deus, 
todos serão sabedores 
da terra dos avós meus, 
ouvirão dos esplendores, 
dos coqueiros que são meus. 

É no Sertão da Bahia 
que vive o ipupiarense, 
enfrentando o dia a dia 
buscando algo que o compense, 
mesmo com chuva tardia 
sua fibra ninguém vence! 

Falta muito na cidade, 
por vezes abandonada... 
O progresso, na verdade, 
é tartaruga atrasada. 
Triste e dura realidade 
e ninguém quer fazer nada. 

Ganhamos, sim, energia, 
um projeto do mais alto 
que olhando para a Bahia 
achou-nos em sobressalto. 
Telefone, que alegria! 
Também nos chegou o asfalto. 

Hoje quero aqui pedir 
a quem o poder exerce, 
que não deixe sucumbir 
essa gente que padece, 
por favor, queiram ouvir 
meu pedido, minha prece. 

Ipupiara é tão querida, 
cada amigo é um irmão, 
inspira amor e guarida 
muita paz no coração 
e o seu povo nesta vida 
sabe estimar o seu chão. 

SONETO MONTANHÊS

























SONETO MONTANHÊS
CARLOS RIBEIRO ROCHA

Neste soneto montanhês que faço
quero lembrar queridos companheiros
caminhos sinuosos onde passo
ouvindo o linguajar dos garimpeiros.

Falam eles das glórias, dos fracassos
dos seus momentos mais alvissareiros,
das ¨corredeiras¨ feitas por seus braços,
para ali batear meses inteiros...

Mas, uma cena me ficou na mente
que considero a foto permanente
da vida campesina do Sertão:

Enquanto a fonte chora na vertente,
um sabiá gorjeia bem contente

sobre o velho ingazeiro do grotão.