segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

 NOITE DE NATAL
 Filemon F. Martins
                
É noite de Natal. As luzes da cidade
iluminam as ruas, praças e avenidas.
Há sorrisos, festejos, mimos de bondade
na troca de presentes, doces e bebidas.

Que se fez do Natal de paz, fraternidade,
ou do “papai Noel” chegando às escondidas,
onde estará o bem, o cetro da verdade,
cujo manto de amor cobria às nossas vidas?

Bendita seja a fé que torna a vida calma,
eflúvios de emoção que faz sorrir minha alma
ao lembrar de Jesus, menino de Belém.

Um desejo de paz me envolve o pensamento:
que as pregações de fé do Novo Testamento
sirvam para espalhar o amor no Mundo. Amém!




sábado, 24 de dezembro de 2016

TROVAS-ESCADA

TROVAS-ESCADA
Filemon F. Martins           

Não machuca, só faz bem
viver em paz, meu irmão,
que a colheita sempre vem
com uma boa plantação.

Que este gesto comovido
de amar pela vida afora,
possa ser correspondido
antes que a luz vá embora.

Crer e amar, como ninguém,
já me basta nesta prece,
que a minha fé vai além...
Jamais a dor prevalece.

Um exemplo a ser seguido
por todos nós nesta vida:
crer e amar – olhar erguido
mesmo após a despedida.

NO TOPO:
UM EXEMPLO A SER SEGUIDO
CRER E AMAR, COMO NINGUÉM,
QUE ESTE GESTO COMOVIDO
NÃO MACHUCA, SÓ FAZ BEM.


TROVA DE NATAL

TROVA DE NATAL
FILEMON F. MARTINS

Brilha uma estrela... É Natal...
A noite é silente e calma,
e a alegria vem, afinal,

morar feliz em minha alma.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

TROVAS DE NATAL

TROVAS SOBRE O NATAL
J. G. DE ARAÚJO JORGE

Natal! É sonho e vigília,
harmonia, amor e paz...
Milagre! Toda a família
se reúne uma vez mais...

Natal! E tudo parece
mais feliz, sem dor nem mal...
- Quem dera o mundo pudesse
ser um perpétuo Natal!

Deus na terra... Eis o Natal!
Repicam sinos... Festanças...
Feriado nacional
no coração das crianças!

Ser criança, no Natal,
é uma alegria do céu...
- mas, a maior alegria
é a de ser Papai Noel...

(TREVOS DE QUATRO VERSOS, PÁGINAS 139/140)

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

A ESTRELA DE BELÉM

A Estrela de Belém
Jonathas Braga

Na toalha divinal do céu da Palestina
fulgura um novo sol de brilho aurifulgente
que enche a noite de luz maravilhosa e fina,
e segue de Belém o rumo, suavemente.

Toda a terra desperta e logo se ilumina
e se enche de alegria estuante e transcendente.
Os anjos, na amplidão da celeste cortina,
estrugem num clangor mirífico e fremente!

E a estrela prodigiosa a todos deslumbrando,
prossegue lentamente o recanto buscando
onde a humildade é um poema enfeitado de luz

e onde, entre palhas vis, cumprindo a profecia,
sob a luz maternal dos olhos de Maria,
repousa docemente o divino Jesus!

in O Jornal Batista #53
 – 
Dez 1948 – (A POESIA DO NATAL, ORG. DE SAMMIS REACHERS) 

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

NATAL

NATAL
STELA CÂMARA DUBOIS

- Já não há mais lugar! – E o casal prosseguia,
De porta em porta assim, de agasalho à procura,
E desprezado fôra em meio da lonjura,
Da noite, pois fortuna e luxo não trazia.

Completa é a lotação nas almas hoje em dia,
O prazer se amontoa, e vícios e urdidura...
Quando Cristo um lugar lhes pede com doçura,
Apontam com escarninho a rude estrebaria.

- Já não há mais lugar! – E entanto, Jesus
Com paciência caminha, espadanando luz;
Ó dá-me, filho meu, ó dá-me o coração!

Na amplitude sidérea o celeste cortejo,
Como em Belém, outrora, exulta, benfazejo,
Quando uma alma perdida aceita a salvação!

(Coletânea O NATAL DE CRISTO, página 31)

domingo, 18 de dezembro de 2016

NATAL E VIDA

NATAL E VIDA
Filemon F. Martins

Natal, sempre nos diz o calendário:
Jesus nasceu na gruta de Belém,
depois Jerusalém foi o cenário
que O condenou à cruz, Supremo Bem.

O drama desumano do calvário,
- a mensagem de fé para os que creem,
mas o mundo insensato e perdulário
rejeitou a Paz, que da cruz provém.

O menino nasceu e veio ao mundo
para trazer a Paz, o Amor profundo
aos corações humildes, sem vaidade!

“Pois aquele que em vida, crê em mim,
mesmo que esteja morto, ainda assim,
comigo viverá na Eternidade”!

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

NOITE DE NATAL

NOITE DE NATAL
João Henriques da Silva

O palacete em festa!... Noite de Natal!...
As vidas, esquecendo a verdadeira vida,
abusam tanto da comida e da bebida,
que mais parece um animado carnaval!

Passam horas! Do amor fraterno, nem sinal!...
No casebre ao lado, entre roupas encardidas,
pobre mulher vai dando vida a outra vida.
No palacete, continua o festival.

O amor ao próximo dali passa distante,
e ninguém se lembra do Aniversariante
que veio ao mundo para combater o mal.

Lá no casebre, surge a luz resplandecente,
porque é ali em que Jesus está presente...
- No palacete, deve estar o seu rival.

(A FIGUEIRA, 2001, PÁGINA 01)


quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

MINHA OPINIÃO

MINHA OPINIÃO (Leia até o final)
Filemon F. Martins

Quando você para um pouco e pensa, observando o cenário político, é que percebe que os brasileiros estão em situação caótica. Quando o governo quer privatizar uma empresa, as notícias, os balancetes mostram sempre que a empresa dá prejuízo. Uma vez privatizada, no ano seguinte já aparecem os lucros, como num passe de mágica. Somos idiotas, é o que pensam. Com o INSS acontece a mesma coisa. Quando trabalhei na Empresa Folha da Manhã, proprietária e editora de alguns jornais, entre outros, FOLHA DE S. PAULO, CIDADE DE SANTOS, ÚLTIMA HORA, (hoje o atual AGORA), estava mais perto das notícias e sabia-se que entre os maiores devedores do INSS estavam os clubes de futebol. Pergunto: essa dívida foi paga? Quando Lula fez a Reforma da Previdência, escolheu 12 conselheiros para fazer a dita Reforma e entre estes estavam os maiores devedores do INSS. Deu no que deu com mensalão e tudo. Agora, o Temer, com ar de sério diz que a previdência vai quebrar. Claro, enquanto a sangria aos cofres públicos continuar, não há País que aguente. É tanto roubo descaradamente, sob a complacência dos órgãos que deveriam fiscalizar, com a conivência dos Tribunais de Contas e a impunidade propiciada pela justiça e até do STF, que agora eles querem roubar, sem que haja nenhum obstáculo. É um roubo oficial. É impossível ser otimista num país, onde os ladrões roubam e um batalhão de advogados são regiamente pagos para dizer que todos eles são santos e inocentes. Enquanto isso, eu pego um cupom de compras de supermercado no valor de R$ 253,11 e o próprio cupom me informa que R$ 92,09 são tributos pagos. O próprio cupom ainda me informa que R$ 43, 25 são tributos federais e R$ 48,84 são tributos estaduais. Pode?




   

FELIZ NATAL PARA VOCÊ (ODIR MILANEZ)

FELIZ NATAL PARA VOCÊ!
Odir Milanez


Como seria bom se a mim coubesse
o dom de ser na vida além do mal!
Poeta sem pecados, que pudesse
rezar para você: Feliz Natal!

Que bom seria a noite que me desse
pensamento de paz a nada igual!
Uma noite amorável que me houvesse
rezar para você: Feliz Natal!

Se me coubesse o dom intemporal,
como seria bom, por Jesus Cristo,
rezar para você: Feliz Natal!

Se o parnaso me houvesse passional,
eu poderia, em verso nunca visto,
rezar para você: Feliz Natal!



(FONTE: AVBAP)

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

NATAL

NATAL

Filemon F. Martins



É noite de Natal. A farta mesa
revela que o Natal, hoje, mudou.
Quem faz aniversário, com certeza,
em mesa farta assim nunca sentou.

Naquela noite a própria natureza
em mimos elegantes se enfeitou
para acolher o Rei, que, sem riqueza
na manjedoura humilde se mostrou.

Mas hoje a humanidade se desdobra
e por dinheiro faz qualquer manobra
e não parece se lembrar da cruz.

E do Natal os pobres ficam fora
aguardando que a luz da nova aurora
volte a brilhar nos olhos de Jesus!

filemon.martins@uol.com.br
Caixa Postal 64

11740-970-Itanhaém-SP

domingo, 11 de dezembro de 2016

NASCE JESUS

NASCE JESUS
ASSIS CABRAL


Nos céus surge um clarão. Nos céus da Palestina
com miríades de sóis e estrelas aos milhares
brilhando sobre a terra, enchendo os puros ares,
de um fulgor que se esparge ao vale e na campina.

Ao redor de Belém, eis tudo se ilumina.
Belém toda silêncio. Há repouso nos lares.
A gleba de Davi, entregue aos seus cismares,
vê descer sobre si a excelência divina.

Os anjos cantam glória a Deus lá nas alturas,
proclamam paz no mundo. As Santas Escrituras
cumprem-se com rigor. Aos homens raia a luz.

O arcanjo celestial, numa expressão tão bela,
conta o fato real. Pois, na gruta singela,
a História muda o curso – É nascido Jesus!

sábado, 10 de dezembro de 2016

NATAL

NATAL
Célio Grunewald (Juiz de Fora)

Surge o Natal e no bater do sino
nossa alma em festa em aleluia canta.
Nasceu Jesus, nasceu o Deus Menino
na solidão da manjedoura santa!

Surge o Natal! Há pelos céus um hino
cheio de amor que há todos nos encanta
e que bonito, esplêndido e divino,
nos brota, embevecido, da garganta!

Surge o Natal! Na comunhão dos povos
hão de surgir os horizontes novos
repletos de ternura, amor e luz.

Surge o Natal! Que paz existe agora.
Pois neste instante a gente comemora
o doce aniversário de Jesus!...

TROVAS DE NATAL

TROVAS DE NATAL

Dezembro... Feliz Natal!
Nascimento de Jesus.
E tudo brilha, afinal,
Deus Menino é a própria luz.
         JORGE FREGADOLLI

Dos meus Natais infantis,
deste fato não me esqueço:
Papai Noel jamais quis
saber o meu endereço...
         JOSÉ FABIANO

Confirmando as profecias,
foi no céu visto o sinal,
anunciando que o Messias
veio ao mundo – era o Natal!
         MANOEL FERNANDES FILHO

Natal. Eu, junto à lareira,
elevo aos céus minha prece.
Meu ser transpõe a barreira
e em Jesus Cristo se aquece.
         CONSTANTINO GONÇALVES



sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

O NASCIMENTO DE CRISTO

O NASCIMENTO DE CRISTO
Carlos Guimarães

Na gruta em que Maria achou, enfim, abrigo
e onde José, paciente, a manjedoura armara,
um burro sonolento e um boi de olhar amigo
assistem, calmamente, àquela cena rara:

Um Deus descer à Terra! E a madrugada clara
é toda riso e festa: o feno, a rosa, o trigo,
a ovelha, o inseto, a lua, a Estrela, tudo para,
feliz ao ver cumprido o vaticínio antigo!

E o Deus feito menino aceita as honrarias:
pastores a adorá-lo, arcanjos a cantar
e Reis que vêm de longe em ricas montarias...

Cumprida a profecia, após tão longa espera,
o Natal do Menino irá, por fim, marcar
para sempre, na História, a aurora de uma Era!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

RENASCER COM CRISTO

RENASCER COM CRISTO
Aluísio Bezerra

Nem no Natal, suspenso no meu trono
de orgulho, de egoísmo e de vileza,
eu paro pra pensar nesta fraqueza,
mergulhado, que vivo, no meu sono.

Pois face ao meu viver em desabono,
aos males sensuais da natureza,
vou esquecer, com tanta malvadeza,
da festa o pequenino e humilde Dono.

Darei, neste Natal, ao Deus Infante,
tão esquecido aniversariante,
o presente mais certo e desejado:

- Fazer que a minha vida se transforme,
ser Homem Novo, de um fervor enorme,
que renasce com Cristo Humanizado.

ESTE NOVO NATAL

 ESTE NOVO NATAL

Evandro Moreira

É dezembro outra vez... O tempo, repentino,
acumulou-se sobre a minha mocidade;
lavou a minha face inquieta de menino
com restos de esperança e sombras de saudade.

Descubro que não tenho, à frente, mais destino
nem sequer a ambição de achar felicidade;
e me consolo ao ver, no filho pequenino,
germinar, como herança, a antiga ingenuidade.

É dezembro outra vez... é Natal! E as crianças
cantando ao meu redor confessam esperanças
de uma noite encantada e presentes gentis.

Sinto-me rei, e Mago em constante oferenda,
voz de sinos, canção antiga em tom de lenda,
e volto a ser menino... E torno a ser feliz.

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

TEMPO-ETERNIDADE - PAULO MENDES CAMPOS

TEMPO-ETERNIDADE
PAULO MENDES CAMPOS

O instante é tudo para mim que ausente
do segredo que os dias encadeia
me abismo na canção que pastoreia
as infinitas nuvens do presente.

Pobre do tempo, fico transparente
à luz desta canção que me rodeia
como se a carne se fizesse alheia
à nossa opacidade descontente.

Nos meus olhos o tempo é uma cegueira
e a minha eternidade uma bandeira
aberta ao céu azul de solidões.

Sem margens, sem destino, sem história,
o tempo que se esvai é minha glória

e o susto de minha alma sem razões.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

POEMA PORTUGUÊS - FERREIRA GULLAR

POEMA PORTUGUÊS 7
FERREIRA GULLAR

Neste leito de ausência em que me esqueço
desperta um longo rio solitário:
se ele cresce de mim, se dele cresço,
mal sabe o coração desnecessário.

O rio corre e vai sem ter começo
nem foz, e o curso, que é constante, é vário.
Vai nas águas levando, involuntário,
luas onde me acordo e me adormeço:

Sobre o leito de sal, sou luz e gesso:
duplo espelho – o precário no precário.
Flore um lado de mim? No outro, ao contrário,

de silêncio e silêncio me apodreço.
Entre o que é rosa e lodo necessário,

passa o rio sem foz e sem começo.

ABC DE IPUPIARA - JERRY FILHO

ABC DE IPUPIARA 

JERRY FILHO (21/12/1950 – 19/05/2015)



Agora quero mostrar 
nas minhas rimas sem tom, 
o que ninguém quis falar. 
Falarei em alto som! 
Preciso então me inspirar, 
do alto buscar o dom. 

Bem: se eu já fiz a promessa 
é certo que vou cumprir, 
senão a graça me cessa 
e vergonha vou sentir. 
Eu preciso sair dessa 
sem ninguém me repelir. 

Como disse no começo 
há um fato por narrar 
e disto jamais esqueço. 
Um abraço vou mandar, 
com todo ardor, todo apreço, 
e de IPUPIARA falar. 

Daqui pra frente, senhores, 
nesse Universo de Deus, 
todos serão sabedores 
da terra dos avós meus, 
ouvirão dos esplendores, 
dos coqueiros que são meus. 

É no Sertão da Bahia 
que vive o ipupiarense, 
enfrentando o dia a dia 
buscando algo que o compense, 
mesmo com chuva tardia 
sua fibra ninguém vence! 

Falta muito na cidade, 
por vezes abandonada... 
O progresso, na verdade, 
é tartaruga atrasada. 
Triste e dura realidade 
e ninguém quer fazer nada. 

Ganhamos, sim, energia, 
um projeto do mais alto 
que olhando para a Bahia 
achou-nos em sobressalto. 
Telefone, que alegria! 
Também nos chegou o asfalto. 

Hoje quero aqui pedir 
a quem o poder exerce, 
que não deixe sucumbir 
essa gente que padece, 
por favor, queiram ouvir 
meu pedido, minha prece. 

Ipupiara é tão querida, 
cada amigo é um irmão, 
inspira amor e guarida 
muita paz no coração 
e o seu povo nesta vida 
sabe estimar o seu chão. 

Já falei sério e brinquei, 
mas sempre sou moderado, 
pois nunca me esquecerei 
do nosso prefeito Osvaldo.** 
Homem de valor, bem sei, 
trabalhou como alugado. 

Lembrando dos tempos idos 
quando lá era Fundão, 
amigos – já falecidos – 
lutaram por ser Jordão 
e permanecendo unidos 
coroaram a intenção. 

Muita gente conta a história 
de um Isidoro Ribeiro, 
meu bisavô – isto é glória! 
que sempre foi o primeiro 
a lutar pela vitória 
do seu torrão altaneiro. 

Nada intimidava os bravos, 
sempre a luta era renhida, 
lutando tal qual escravos 
com bravura destemida... 
Fossem pregados com cravos 
a dor não era sentida. 

O nome era até bonito 
mas resolveram mudar. 
Nessa época, o Isidoro dito 
já estava a descansar 
e um outro vulto bendito 
quis essa luta abraçar. 

Para que tenham ciência 
quando surgiu Ipupiara, 
foi com fé e paciência, 
a vitória custou cara, 
pois Brotas, sem consciência, 
liberdade lhe negara. 

Quando a nove, mês de agosto, 
o sol mais forte brilhou 
e Artur Ribeiro, com gosto, 
a emancipação bradou, 
um sorriso em cada rosto 
logo, logo se estampou. 

Realmente, brasileiros, 
cada terra e sua história 
mostra os homens verdadeiros, 
não a aparência ilusória! 
Que os exemplos, companheiros, 
sejam sempre nossa glória. 

Se já sabemos agora 
do presente e do passado 
desta terra que ainda implora 
um pouco mais de cuidado, 
creio ser chegada a hora 
de lutarmos lado a lado. 

Toda luta é conseguida 
com muito esforço e união, 
a nossa terra querida 
merece nossa atenção, 
lutar por sua guarida 
é dever do cidadão. 

Uma vez que os conclamei 
a um grande esforço e união, 
há muita coisa que sei 
precisar de um empurrão: 
unir o progresso à LEI, 
ORDEM, JUSTIÇA E RAZÃO. 

Vamos, nossa Ipupiara, 
pois tu também és Brasil! 
Mostra essa pujança rara 
nesse Sertão varonil, 
e essa gente que te encara 
renderá louvores mil. 

Xeque-mate! Não tem jeito. 
Posso sorrir e cantar! 
O coração satisfeito, 
não para de palpitar. 
A Deus eu rendo meu preito 
por Ele aqui me ajudar. 

Zelarei desse meu dom 
e de Ipupiara também! 
Não sou ruim e nem bom, 
isto não nego a ninguém; 
só consigo escrever com 
vontade de ver o bem. 

(Do livro CENTELHAS DO ALÉM-JERRY FILHO/JAN. 2000) 



** Osvaldo Leite da Silva foi prefeito de 1971 a 1972, 1977 a 1982 e 1993 a 1996. Ipupiara faz fronteira ao norte com Gentio do Ouro, ao leste, com Barra do Mendes e ao oeste e sul, com Brotas de Macaúbas.