sexta-feira, 22 de março de 2013

TROVAS DO FILEMON


TROVAS DO FILEMON

 

Minha saudade acentua

ao ver-te em meu pensamento,

dançando assim quase nua,

- como é bom esse momento.

 

Não quero que sintas pena,

se nosso amor já morreu.

A vida é breve e serena,

- quem por amor não sofreu?

 

Tempos idos – que saudade

da minha vida de outrora.

Meus sonhos de mocidade

um por um foram embora.

 

Levanto, de madrugada,

cheios de sonhos e medos,

e nessa noite encantada

ouço todos teus segredos.

 


Caixa Postal 64

11740-970-Itanhaém – SP.

terça-feira, 19 de março de 2013

CRÍTICA AO LIVRO "FAGULHAS"


CRÍTICA AO LIVRO “FAGULHAS”:

 

 

Para mim, FILEMON MARTINS é um dos maiores sonetistas da atualidade, junto com Théo Drummond. Métricas e rimas perfeitas, sem a obscuridade e subjetividade dos simbolistas, mas com a lapidação e a forma artesanal dos parnasianos. Conhecia pouco seus textos em prosa e surpreendi-me com esse livro. Vejo a preocupação de um brasileiro que ama sua pátria, abordando temas contemporâneos com a convicção de quem sabe o que diz e o que escreve.

A modernidade exige a síntese, ou “se contenta com pouco” na expressão de Paul Valèry. Filemon o faz com maestria, mas no pouco, consegue dizer tudo.

Há um convívio estreito entre os elementos da natureza, da cultura, da política e, evidentemente, da poética. O autor está atento às vozes da consciência, ao desejo de registrar e homenagear grandes nomes de escritores, de poetas e de amigos, que conheceu ao longo da vida e teve o prazer de ser leitor.

Impregnado de modernidade, demonstra pensamento rico de reminiscências de um saudoso passado. Todos os problemas de nossa época passam pelos intrincados corredores de “FAGULHAS”.  É um livro atual, pois, se Lula não é mais presidente, continua nos bastidores; o PT continua no poder e as falcatruas são as mesmas.

O que pretende Filemon é contribuir para um “renascimento da ética”. Como bom cristão, sabe que não resolverá os problemas brasileiros, mas faz a sua parte. Outra proposta é a de enriquecer a biografia dos autores escolhidos.

Rico em argumentos, FILEMON convence o leitor, além de traçar um belo retrato de cada um dos homenageados, é também grande contador de histórias.

Eu gostei muito. Confira você também!

 

Maria José Zanini Tauil

Professora de Literatura

 

segunda-feira, 18 de março de 2013

AMOR...


AMOR...

Filemon F. Martins

 

Como é bom viver amando

Neste eterno amanhecer

Um grande amor de verdade.

 

O mundo fica bonito,

O coração mais alegre,

Bate forte a inspiração.

 

O céu, embora nublado,

Transmite tanta emoção

Molhando até os meus olhos.

 

A natureza se exibe

Com flores, cores, perfumes,

Neste universo de amor.

 

Como é bom viver amando

Um grande amor de verdade.

 

 

 

sábado, 16 de março de 2013


FAGULHAS é o novo livro de Filemon F. Martins, com 220 páginas, lançado em São Paulo pela Editora Scortecci, apresentando artigos, cartas, crônicas, ensaios e algumas histórias.

sexta-feira, 15 de março de 2013

CRÍTICA AO LIVRO "FAGULHAS"


 CRÍTICA AO LIVRO “FAGULHAS”:

 

 

Para mim, FILEMON MARTINS é um dos maiores sonetistas da atualidade, junto com Théo Drummond. Métricas e rimas perfeitas, sem a obscuridade e subjetividade dos simbolistas, mas com a lapidação e a forma artesanal dos parnasianos. Conhecia pouco seus textos em prosa e surpreendi-me com esse livro. Vejo a preocupação de um brasileiro que ama sua pátria, abordando temas contemporâneos com a convicção de quem sabe o que diz e o que escreve.

A modernidade exige a síntese, ou “se contenta com pouco” na expressão de Paul Valèry. Filemon o faz com maestria, mas no pouco, consegue dizer tudo.

Há um convívio estreito entre os elementos da natureza, da cultura, da política e, evidentemente, da poética. O autor está atento às vozes da consciência, ao desejo de registrar e homenagear grandes nomes de escritores, de poetas e de amigos, que conheceu ao longo da vida e teve o prazer de ser leitor.

Impregnado de modernidade, demonstra pensamento rico de reminiscências de um saudoso passado. Todos os problemas de nossa época passam pelos intrincados corredores de “FAGULHAS”.  É um livro atual, pois, se Lula não é mais presidente, continua nos bastidores; o PT continua no poder e as falcatruas são as mesmas.

O que pretende Filemon é contribuir para um “renascimento da ética”. Como bom cristão, sabe que não resolverá os problemas brasileiros, mas faz a sua parte. Outra proposta é a de enriquecer a biografia dos autores escolhidos.

Rico em argumentos, FILEMON convence o leitor, além de traçar um belo retrato de cada um dos homenageados, é também grande contador de histórias.

Eu gostei muito. Confira você também!

 

Maria José Zanini Tauil

Professora de Literatura

quinta-feira, 14 de março de 2013

ASSIM EU VEJO A VIDA


ASSIM EU VEJO A VIDA


Cora Coralina

A vida tem duas faces:
Positiva e negativa
O passado foi duro
mas deixou o seu legado
Saber viver é a grande sabedoria
Que eu possa dignificar
Minha condição de mulher,
Aceitar suas limitações
E me fazer pedra de segurança
dos valores que vão desmoronando.
Nasci em tempos rudes
Aceitei contradições
lutas e pedras
como lições de vida
e delas me sirvo
Aprendi a viver.

 

(Página da AVBAP)

quarta-feira, 13 de março de 2013

SONETO DE AMOR


SONETO DE AMOR

 
Filemon F. Martins

 
Minha vida sem ti não tem porvir
qual noite sem estrelas, sem luar,
um barco sem destino a sucumbir
à espera de socorro em alto mar.

Meu coração não sabe mais sorrir,
se não vislumbro a luz do teu olhar,
se o teu aroma não vem me seduzir
e se o teu sol não vem me iluminar.

Se não estás aqui, fico inquieto,
vejo-me só, magoado e sem afeto,
a vida fica amarga e sem sentido.

Mas quando voltas, meu amor, sorrindo,
o mundo se transforma e fica lindo
e até o meu jardim fica florido.

filemon.martins@uol.com.br
www.filemon-martins.blogspot.com
Caixa Postal 64
11740-970- Itanhaém – SP.

 

terça-feira, 12 de março de 2013

MINHA CASA


MINHA CASA

Filemon F. Martins

Em frente à minha casa há um jardim
onde os pássaros cantam saltitantes.
Lá dentro há café, beiju e aipim
e a mesa é farta para os visitantes.

A grama verde, as flores, o jasmim
acolhem beija-flores cintilantes.
Quatro palmeiras firmes dizem sim
e fazem sombra aos corações amantes.

Em minha casa tenho alguns armários,
e os livros – meus amigos necessários
que me ensinam a crer num sonho bom.

Creio no amor e em dias fulgurantes
enquanto os versos brotam abundantes,
vou escrevendo e assino Filemon.

filemon.martins@hotmail.com
filemon.martins.blog.uol.com.br
Caixa Postal 64
11740-970- Itanhaém – SP.

 

segunda-feira, 11 de março de 2013

PROMESSAS


Promessas

 

Filemon Martins


Se não consigo obter o teu carinho
e essa rotina não me satisfaz,
serenamente deixo o teu caminho,
- há tempo ainda de buscar a paz.


No silêncio das noites, tão sozinho,
meus pensamentos turvos são reais,
as esperanças fogem de mansinho
e as amarguras chegam logo atrás.


Por que será que a vida só promete
e quando a gente cobra, ela repete
promessas que já fez e não cumpriu?


Assim, meu coração desesperado
não consegue entender, está cansado:
- o amor chegou, entrou, mas já partiu!

 

 


Caixa Postal 64

11740-970-Itanhaém-SP.


 

 

sexta-feira, 8 de março de 2013

NOITE DE AMOR


NOITE DE AMOR

Filemon F. Martins

A brisa passa
e perpassa suave e leve
e me traz teu perfume.

Embriago-me em teus encantos.
E apaixonado como o beija-flor
beijo tua boca demoradamente
e teu amor me queima como chama
de um fogo devorador...

E as minhas mãos indiscretamente
passeiam pelo teu corpo,
- meu éden terrestre,
como se fosse a lua, com seus raios,
passeando pela imensidão do Universo.

Depois... Apaixonadamente
eu me entrego em teus braços
e me ponho a teus pés,
e volto a te caçar na cama
com ternura e paixão,
porque és minha e sou teu.
E sinto as emoções de quem te ama
nessa noite feliz, aconchegante,
do Teu, do Meu, do Nosso Amor!

quinta-feira, 7 de março de 2013

EU SEI...


EU SEI...

                         Filemon Martins


Eu sei que você tem razão
quando reclama da vida,
dos preconceitos sociais,
da insensibilidade do mundo.
-Mercenários do poder –
que perseguem, oprimem,
bajulam e exploram...
Quando descrente, afirma
que já não crê em ninguém,
que as mulheres são falsas
e os homens são egoístas...

Eu sei
você está desanimado no mundo desigual,
tudo parece estar perdido,
já não existe paz:
-só problemas que você, todos os dias,
do escritório, da rua ou da escola,
do ônibus ou do metrô leva para o lar...

Mas pense um pouco, por que se desesperar?
A riqueza maior você já tem:
um sorriso terno, um carinho amigo,
          uma mulher amada...

          Ah! Não desanime,
          Deus existe e está tão perto,
          Ele não vai falhar.
          Lute, confie e seja forte
          que logo o temporal vai terminar
          e um novo dia calmo e esperançoso
          com Deus decerto há de raiar!

quarta-feira, 6 de março de 2013

DESEJO ÍNTIMO


DESEJO ÍNTIMO

                            FILEMON MARTINS


Sinto que me queres
e me desejas também,
porque me fitas,
porque me olhas
e me sorris.

Amo-te.
Quero-te.
Desejo-te assim sem rodeios
desvendar teus segredos,
unir teu corpo ao meu,
sentir a maciez de teus seios
e embriagar-me nos teus beijos
deliciosamente,
sob a luz do teu olhar
tão meigo e sedutor
e a emoção eternal do nosso amor.

terça-feira, 5 de março de 2013

O MAR


       O MAR

             Filemon F. Martins

 

A noite chega e a solidão do mar

vem me trazer, de leve, um vento fino,

a saudade povoa o meu pensar,

enquanto as vagas seguem seu destino.

 

O mar, em movimento, quer mostrar

seu poder que fascina ao peregrino.

Provocador, feliz, quer carregar

dissabores e mágoas, imagino.

 

E traz em oferenda a tempestade,

fica agitado e cheio de vontade,

erguendo-se em espumas seu furor.

 

Depois, torna-se calmo e exuberante,

belo e tranquilo, mostra-se pujante,

esquecendo, talvez, da própria dor!

 


Caixa Postal 64

11740-970-Itanhaém – SP.

            

segunda-feira, 4 de março de 2013

AMOR


AMOR CREPUSCULAR

Filemon F. Martins

A tarde vai morrendo lentamente
e enquanto o sol se esconde lá na serra,
a brisa vem trazendo mansamente
uma saudade que o meu peito encerra.

E a noite surge alegre e resplendente
com seus mistérios vem saudando a terra,
espalhando, no mundo, o amor ingente
de quem cultiva a paz e evita a guerra.

Quantos amantes passam se beijando
confessando segredos e venturas
que só o amor produz nas almas puras?

Meu coração também está amando
como os casais que passam na avenida
jurando amores para toda a vida.

 


Caixa Postal 64

11740-970-Itanhaém-SP.

domingo, 3 de março de 2013

TROVAS (UBT, de Curitiba-PR)


TROVAS (UBT, de Curitiba)

 

 

Nasceu no campo, algodão...
Virou fio... foi tecido...
Ganhou cor e confecção...
Está pronto o seu vestido!
 
Renato Alves – RJ
 
Já não sei se nos dói mais,
na estrada de tantos trilhos,
soltar-se da mão dos pais...
ou soltar a mão dos filhos.
 
Wandira F. Queiroz – PR
Perdi minha mocidade,
toda hombridade que eu tinha...
Vivi sua identidade
em vez de viver a minha!
 
Ademar Macedo-RN
 
Compondo versos, eu faço
desta vida uma canção
e prego, por onde passo,
a mensagem do perdão!
 
Clênio Borges - RS
Que jornadas gloriosas
fiz ao longo dos caminhos.
Enchi meus braços de rosas
e nem notei os espinhos.
 
Janske Schlenker – PR
 
É num desabafo mudo que muita gente se trai, deixando o olhar dizer tudo que com palavras não sai!
 
José Ouverney – SP
Nunca temerei fracassos,
chegarei mesmo sozinho.
Quem segue do pai os passos
sabe as curvas do caminho...
 
Manoel Cavalcante – RN
Destemido e dedicado,
companhia cativante.
Com meu pai sempre ao meu lado,
sou forte como um gigante!
Vânia Ennes – PR

 

sábado, 2 de março de 2013

TROVAS DO FILEMON


TROVAS

Filemon F. Martins

“Não há vaga”. Está escrito
naquele grande portão,
e o trabalhador, aflito,
em casa não tem feijão.

O céu, hoje, de repente
escureceu e chorou.
O sertanejo, contente,
sorriu, pulou e cantou.

Que fomos feitos de barro,
não há, aqui, discussão.
Mas quando em você esbarro,
esse barro é de emoção.


filemon.martins@uol.com.br
Caixa Postal 64
11740-970 – Itanhaém – SP.

sexta-feira, 1 de março de 2013

SURPRESAS DA VIDA


SURPRESAS DA VIDA

 

ÂNGELA FARIA DE PAULA LIMA



A vida é sempre muito surpreendente!
Porque é criativa, nos ilude.
Ela é dona de nós e onipotente
Confunde-nos o senso da virtude!...

Ela faz o que quer dos nossos dias
E enquanto pensamos ter comando
Ela vai subtraindo as alegrias
Ou vai multiplicando desenganos...

Vamos buscando um calmo porto em vão
Querendo ancorar nossa paixão
Pra dar descanso à alma estremecida...

E quando se imagina achar o Norte
Lá vem ela acenando o passaporte
Avisando que há nova partida!...


26/02/2013