segunda-feira, 31 de outubro de 2011

CORAGEM

CORAGEM

Filemon F. Martins

É preciso coragem para avançar,
não o farol vermelho da vida,
mas lutar obstinadamente
por um Mundo melhor,
mais justo e mais humano,
onde a mão da Justiça e do Direito
defenda o cidadão, defenda o bem-comum.

É preciso coragem para avançar,
vencer obstáculos, reveses
e peripécias que a vida,
muitas vezes,
impiedosamente nos impõe.

É preciso determinação para avançar
dentro da noite
enfrentando adversidades,
e mesmo lento,
ao açoite do vento
continuar caminhando, seguindo
e vencendo as tempestades.

É preciso coragem para avançar
e viver, sem alarde, sem correr,
porque depois da curva,
depois do túnel escuro e assustador,
virá um Tempo de Bonança,
Tempo de Esperança,
Tempo de Luz,
Tempo de Vida,
Tempo de Amor.

filemon.martins@uol.com.br
Caixa Postal 64
11740-970- Itanhaém – SP.

domingo, 30 de outubro de 2011

TROVAS

TROVAS DIVERSAS

São as mulheres formosas
como os rosais nos caminhos:
de longe, mostram as rosas;
mostram, de perto, os espinhos.
Leonardo Henke

Com pena, por vê-lo morto,
a borboleta, piedosa,
simulou, no galho torto,
duas pétalas de rosa...
Orlando Brito

Mesmo soltas e espalhadas
as pétalas são formosas;
porém somente abraçadas
é que elas se tornam rosas!
A. A. de Assis

Pobre horizonte pequeno
de quem crê, sem ver mais nada,
que uma rosa com sereno,
é só uma rosa molhada!
Arlindo Tadeu Hagen

sábado, 29 de outubro de 2011

ONDINA


Ondina

Delasnieve Daspet
.
Vim das ondas do mar,
Das cavernas,
Da preciosidade da terra...
.
Vim com as malvas, violetas, jacintos,
Que encantam o olfato e a vista,
Um maravilhoso jardim de espera

.
Não fui anunciada por lágrimas...
Sorrisos e faustos me acolheram.

DD_Campo Grande-MS, 29.06.11.
.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

PORTA ABERTA

PORTA ABERTA
    Théo Drummond


Se  tu queres sair vê que a porta está aberta.
Nunca mais a tranquei por que há muito sentia
Teu amor se extinguir, por isso eu já sabia
O que ia acontecer, e agora pouco importa.

O tempo é sempre assim: ele cria e ele corta
O que quer que aconteça em nossa vida, um dia.
E sem pensar na dor nosso caminho entorta,
E faz da dor a dor que em nós mais nos doía.

Não faz mal que te vás, por outro amor levada.
Peço, apenas que saias sem dizeres nada,
Pois nada o que disseres me ajuda ou conforta.

Sejas feliz com o outro e nem lembres de mim.
Há tempos que eu já vivo a chegada do fim,
Por isso vai-te embora e fecha logo a porta.



terça-feira, 25 de outubro de 2011

INFÂNCIA - TROVAS

...INFÂNCIA

Hoje, a infância me recorda
esse velho amigo meu:
um palhacinho de corda
tão sem corda quanto eu!...
      Elton Carvalho/RJ
Em minha infância, eu fazia
meu sonho ser tão real,
que uma fazenda cabia
no fundo do meu quintal ! 
      Sérgio Ferreira da Silva/SP
Às vezes, na velha idade,
minha infância sobressai,
e eu peço colo à saudade
fingindo que é o teu, meu pai.
      Otávio Venturelli /RJ
Entre a tua e a minha idade,
filho meu, quanta distância...
– És a infância da saudade!
– Sou a saudade da infância!
      José Maria Machado de Araújo/RJ

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

FÊNIX

            FÊNIX

                        Jô Tauil

DE QUANTAS MORTES MORRI?
DE TRISTEZA E DE BELEZA
DOS AMORES QUE VIVI
DOS AMORES QUE PERDI
MAS DE CADA MORTE
RADIANTE, RENASCI!
BORBOLETA COLORIDA
VIDA BREVE E INTENSA
RETORNOS CONSTANTES
RENOVADAS PRIMAVERAS
SOU FLOR, FLORES, FLORESTA
SOU PARTE DE DEUS
SOU VOO DOS QUE ME CERCAM
SOU O ABRAÇO AMPLO
DO ESPAÇO QUE ME ENLAÇA
QUANDO, COMO NARCISO
OLHO-ME NAS ÁGUAS
OU ME AFOGO EM LABAREDAS
PORQUE, COMO FÊNIX
À CADA MORTE
RENASCO...


(DO SITE WWW.PREFACIO.NET)

domingo, 23 de outubro de 2011

TROVAS EM FAMÍLIA

         TROVAS EM FAMÍLIA

VEJO A PROVA FULGURANTE
DE UM PODER QUE NÃO TEM FIM,
NUMA ESTRELA – BEM DISTANTE,
NA VIDA – DENTRO DE MIM.
         CARLOS RIBEIRO ROCHA

AQUELE QUE QUER NA VIDA
PENSAR SOMENTE EM TER SORTE...
NÃO LEMBRA, COM TANTA LIDA,
QUE TUDO ACABA COM A MORTE.
         LAURENTINA MARTINS DOS SANTOS

COM OLHOS FITOS NO CHÃO,
VOCÊ SÓ VÊ A TRISTEZA.
LEVANTE A CABEÇA, IRMÃO,
E CONTEMPLE A NATUREZA!
         MÁRIO RIBEIRO MARTINS

A DISTÂNCIA É QUE NOS MATA
PORQUE VEM LOGO A SAUDADE;
SAUDADE – PRESENÇA INGRATA
DA ANTIGA FELICIDADE.
         FILEMON F. MARTINS

(JORNAL O RADAR, ABRIL DE 1999. PÁGINA 19)

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

TROVAS EM FAMÍLIA



      TROVAS EM FAMÍLIA

NENHUM POEMA É MAIS BELO
E INSPIRA TANTA ESPERANÇA,
DO QUE UM SORRISO SINGELO
NO ROSTO DE UMA CRIANÇA.
            FILEMON F. MARTINS

A MONTANHA COROADA
DO OURO DO SOL, ANUNCIA
QUE APÓS A NOITE CERRADA
CHEGA SEMPRE UM NOVO DIA.
            CARLOS RIBEIRO ROCHA

ESCOLHA UM SOLO FECUNDO,
PREPARE-O COM MUITO ARDOR,
E COM FERVOR MAIS PROFUNDO
PLANTE A SEMENTE DO AMOR!
            JERRY FILHO

AMIGOS: GUARDEM DE COR
E VIVERÃO SATISFEITOS:
NOSSA VITÓRIA MAIOR
É VENCER NOSSOS DEFEITOS.
            SAMUEL P. RIBEIRO

(JORNAL O RADAR, ABRIL DE 1999, PÁGINA 19)

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

TROVAS

                TROVAS

                        HUMBERTO DEL MAESTRO

DESFAZ-SE A NOITE EM NEBLINA,
UMA BRISA FRIA ESCOA,
E OUÇO PRECES EM SURDINA
NOS BORRIFOS DA GAROA.

TEUS OLHOS, MAR DE BERILO
(QUE SINGRO NUM ESCALER),                                           
FARÃO DOS MEUS UM ASILO,
CASO ME ACOLHAS MULHER.

AMOR QUE SE DESVIRTUA
DEPOIS SE TORNA FRANZINO
- É COMO NOITE SEM LUA,
- É COMO IGREJA SEM SINO.

LIGEIRAS, ÁGEIS, EM BANDO,
PELO CÉU TINTO D´AURORA,
VEJO ANDORINHAS BRINCANDO
NA MANHÃ QUE NASCE AGORA.

(O JORNALZINHO, MAI-JUN/2010, PÁGINA 6)

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

TROVAS




        TROVAS

       Filemon F. Martins

Não me queixo desta vida,
apesar da minha idade.
Queixo, sim, da despedida
que me trouxe esta saudade.

Quando a amargura me assalta
e a tristeza o peito invade,
eu sinto que a tua falta
vai me matar de saudade.

Nesta manhã reluzente
de sol aquecendo a terra,
vejo a beleza presente
no teu olhar cor de serra.

Entre flores, no meu sonho
estavas nos braços meus.
Mas de repente, tristonho,
acordei ouvindo “adeus”.

www.filemon-martins.blogspot.com
Caixa Postal 64
11740-970-Itanhaém – SP.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

VULNERÁVEL

Vulnerável

ENAR BRITOS DE SOUZA

A vulnerabilidade humana
diante das tempestades
da vida,
é inegável,
nos curvamos,
nos perdemos,
sofremos...
mas nossa grandeza está
em passada a tempestade,
não lamentar o que se perdeu,
e valorizar o que ficou...

(Do site www.prefacio.net)

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

COMPONDO VERSOS






        COMPONDO VERSOS

                   Filemon F. Martins

Eu quisera compor uns lindos versos
que falassem do amor e da paixão,
destes sonhos  antigos e dispersos
que ocuparam meu pobre coração.

Teus olhos cor de mar, (quase perversos),
pousaram sobre mim, que perdição,
e meus sonhos agora estão imersos
neste mar de beleza e solidão.

Por que partiste assim, sem dizer nada,
deixando apenas tua gargalhada
que em saudade se fez e em mim convive.

Peço para que voltes, doce amada,
porque sem luz não há mais alvorada,
sem teu amor meu coração não vive!

Caixa Postal 64
11740-970- Itanhaém – SP.

domingo, 16 de outubro de 2011

CÂNTICO AO MAR

CÂNTICO AO MAR

LY-2011-M.LURDÉS SOUZA

~~OH! MAR
~~~~ENQUANTO
~~~~~QUEBRAS
~~~~~~ONDAS NA PRAIA
~~~~~~~SUA IMENSIDÃO
~~~~~~~~BELEZA SEM PAR
~~~~~~~~~NO TEU INFINITO
~~~~~~~~~~FAZ-ME BUSCAR
~~~~~~~~~~~MEDITAÇÃO
~~~~~~~~~~~~SUA CRIAÇÃO
~~~~~~~~~~~~EM CADA
~~~~~~~~~~~~~MINUTO
~~~~~~~~~~~~~~SINTO
~~~~~~~~~~~~~~~MINHA
~~~~~~~~~~~~~~~~PEQUENEZ
~~~~~~~~~~~~~~~~NÃO HÁ
~~~~~~~~~~~~~~~~~QUEM FIQUE
~~~~~~~~~~~~~~~~~~INERTE
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~DIANTE DE TI
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~E DE QUEM
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~O FÊZ..........
(Do site www.prefacio.net)

sábado, 15 de outubro de 2011

FELICIDADE

FELICIDADE

        FILEMON F. MARTINS

ETERNO SONHO DE FELICIDADE
- VENTURA QUE CHEGOU TÃO TARDE,
- VENTURA QUE SE FOI TÃO CEDO.

SONHO DE AMOR, DE MEIGUICE,
QUANTAS PALAVRAS QUE NÃO DISSE
E QUE É TARDE DEMAIS PARA DIZÊ-LAS...

HOJE, SÓ RESTA ESSA INFINDA SAUDADE

E UMA CERTEZA: NUNCA MAIS TEREI ALGUÉM COMO VOCÊ...

filemon.martins@uol.com.br

Caixa Postal 64
11740-970-Itanhaém – SP.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

DESCOBRIR

        DESCOBRIR

                VERA DE BARCELLOS

DESCOBRIREMOS OS MISTÉRIOS DA VIDA
QUANDO COMEÇARMOS A GALGAR
AS ESCADARIAS DA CARIDADE E DO AMOR
QUE NOS LEVARÁ À LUZ DO CRISTO JESUS.
DEVEMOS ORAR SEMPRE
ESPECIALMENTE NOS MOMENTOS
EM QUE NECESSITAMOS O AMPARO DAS FORÇAS MAIORES.
EM MARIA A NOSSA ESPERANÇA,
A NOSSA ILUMINAÇÃO,
A NOSSA DIRETRIZ,
A NOSSA PAZ.
NA CERTEZA DE CAMINHARMOS
JUNTO A OUTROS GRÃOS
PARA O FORTALECIMENTO
E A MATURIDADE ESPIRITUAL DA NOSSA ALMA!

(O JORNALZINHO-SET/OUT-2011, PÁGINA 7)

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

CASO SÉRIO

            CASO SÉRIO

              Alba Christina Campos Netto

Eu tive um caso, um caso muito sério,
Envolvente, teimoso, e sem saída,
Que me prendeu, tranquila e distraída,
Sem condições de achar um revertério.

Deixei demais a minha voz perdida
Em palavras inúteis, sem critério,
Onde às vezes ouvia um impropério
Em vez de uma resposta prometida.

E numa inútil justificação,
Sensação nova que eu jamais sentira,
Eu passei a viver sem emoção

Bem longe do final que eu tinha em mira:
Em vez de um grande amor, uma ilusão,
Em vez de um caso sério, uma mentira.

(O JORNALZINHO, Postal Clube, Set/Out/2011, página 9)

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

AMOR (INDRISO)

AMOR    (INDRISO?)

Nosso amor floresceu entre os espinhos
e junto a eles, talvez, há de crescer.
Mas crescerão também nossos carinhos...

Porque os espinhos em flores se farão
quando unidos nesse amor profundo
vencermos nossa própria solidão.

Nosso amor vencerá, eu creio assim...

Porque nasceu, feliz, no coração!

Caixa Postal 64
11740-970-Itanhaém – SP.

domingo, 9 de outubro de 2011

ANOITECE

                   ANOITECE

                            Doumerval Tavares Fontes

A NOITE SE APROXIMA... A SOMBRA CRESCE...
O LUAR QUE SE ESTENDE SOBRE OS PRADOS
QUAL ESCADA DE SEDA SE OFERECE
PARA ASCENSÃO DOS SONHOS SOSSEGADOS...

REINA O SILÊNCIO... APENAS ESPAÇADOS,
PIOS DE AVES NO ESPAÇO... ATÉ PARECE
QUE A NATUREZA REZA EM TONS MAGOADOS
NESSE SILÊNCIO EXTÁTICO DE PRECE!

AS ESTRELAS, AOS POUCOS, VÃO SURGINDO
COMO FAGULHAS, LÚCIDAS, SUBINDO
DO INCÊNCIO FEITO PELO SOL POENTE...

ENQUANTO IRREQUIETOS PIRILAMPOS
PARECEM COPIAR, POR SOBRE OS CAMPOS
OS ASTROS A LUZIR NO CÉU SILENTE...

(O JORNALZINHO, POSTAL CLUBE, PÁGINA 8)

sábado, 8 de outubro de 2011

AVOZINHA

       AVOZINHA
(Lendo o excelente soneto “REFLEXOS”, do talentoso confrade Osvaldo Sá, Maragogipe, BA)
       Carlos Ribeiro Rocha

“De sonolento olhar, cabelos brancos”,
a vovozinha a neta acaricia,
usa chinelos ou então tamancos
que, na sala, já fazem alegria!

Lembrando no crochê o que fazia,
atacando a saudade pelos flancos,
ser duplamente mãe é regalia
mesmo que seja aos trancos e barrancos.

Ter ainda uma avó, quanto quisera...
E neste sonho às vezes eu me inundo,
embora seja uma infantil quimera!

Aquela avó de olhar baço e profundo
é o outono ninando a primavera
com o maior orgulho deste mundo!...

(Do livro COROA DE SONETOS, página 27)

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

MEDO

MEDO

Henny Kropf

Do dia sem sol?
Da noite sem luar?
De não ouvir o canto do pássaro?
Da vida sem amor?
De não sentir o perfume das flores?
Da escuridão da noite?
De não ver o por do sol?
Da minha poesia não agradar?
Do céu sem estrelas?
Tenho medo, tenho muito medo
de não encontrar você em minha vida.

(O JORNALZINHO, Postal Clube, maio/junho-2010, página 4)