sábado, 28 de janeiro de 2012

ANSEIOS DO CORAÇÃO

      Gostaria de oferecer a vocês, que acompanham o meu blog, um exemplar do meu novo livro de poemas, ANSEIOS DO CORAÇÃO, publicado pela SCORTECCI EDITORA, 2011.  Basta me enviar o endereço postal.  Quem se interessar, pode usar meu e-mail: filemon.martins@uol.com.br
               
                    Filemon Martins

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

ESCADA DE TROVAS

ESCADA DE TROVAS                              

         
                   Filemon F. Martins

SUBINDO:

“QUEM VIVE LEMBRANDO AMORES”
vai perdendo a emoção,
porque viver velhas dores
não faz bem ao coração.

“POIS VAI DE AMORES MATANDO”
momentos bons, sem iguais,
que a vida vai cultivando
ao longo dos ideais.

“PROVOCA MÁGOAS E DORES”
quem vai e fica também,
pois todos os dissabores
são as saudades de alguém.

“SAUDADE, DE QUANDO EM QUANDO”
sem ser plantada, floresce,
no peito já vai brotando
como se fosse uma prece.

NO TOPO:

“SAUDADE, DE QUANDO EM QUANDO,
PROVOCA MÁGOAS E DORES,
POIS VAI DE AMORES MATANDO
QUEM VIVE LEMBRANDO AMORES.”

        Mário Barreto França
           (In memoriam)



quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

ESCADA DE TROVAS

ESCADA DE TROVAS – AMOR

Filemon F. Martins

SUBINDO:
Por que só me dizes não,
sabendo que és amada?
Há ternura na canção
de nossa noite estrelada.

Se nosso amor é profundo,
meu coração não duvida,
não quero ser vagamundo
nem leviano na vida.

E o que diz teu coração
quando te beijo, sorrindo?
Não sentes mais afeição?
- Por que viver só fugindo?

Não compreendo teu mundo
de insegurança e segredo.
Quase sempre me confundo
e às vezes, morro de medo.

NO TOPO:
Não compreendo teu mundo
e o que diz teu coração.
- Se nosso amor é profundo,
por que só me dizes não?

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

TROVAS DO FILEMON

TROVAS DO FILEMON

“Nos golpes frios do vento”
nem sempre há só desventura,
que às vezes o sofrimento
traz mais vida à criatura.

Não julgue pela aparência
não condene sem saber;
às vezes com paciência
algo bom temos de ver.

Na subida, companheiro,
observe esta lição:
quanto mais cresce o coqueiro,
mais longe fica do chão.

Este cigarro, este fumo
que você traga, com gosto,
será depois em resumo,
o seu mais forte desgosto.

(Do livro FLORES DO MEU JARDIM, esgotado)


segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

TROVAS DE MARIA T. CAVALHEIRO

TROVAS DE MARIA THEREZA CAVALHEIRO


Quando a noite se faz dia
e os sonhos fogem velozes,
há uma luz que se irradia
no eco de muitas vozes.

Sem vitória nem torcida,
na grande quadra do céu,
a lua é bola perdida
que ficou jogada ao léu.

O luar, lascivo e amante,
abre o vestido da mata,
e em seu corpo exuberante
passeia os dedos de prata...

Quando a lua abre seu cofre
de moedas pelo chão,
o sonhador que ama e sofre,
quer todas em sua mão.

(Do livro TROVAS PARA REFLETIR, página 35)

domingo, 22 de janeiro de 2012

TROVAS DE AUTORES DIVERSOS

TROVAS DE AUTORES DIVERSOS


Essa que afasta os abrolhos
de minha existência louca,
carrega a noite nos olhos
e a madrugada na boca.
            ALCEU WAMOSY

Quem ama parece louco,
leva uma vida enganosa,
é como eu, que inda há pouco,
disse – Bom dia! A uma rosa.
            MARTINS FONTES

Para matar as saudades,
fui ver-te em ânsias, correndo...
- e eu, que fui matar saudades,
vim de saudades morrendo!
            ADELMAR TAVARES

A noiva passa levada
pelas asas do seu véu:
é como estrela enfeitada
para uma festa no céu.
            ABGUAR BASTOS

(Do livro TROVAS PARA REFLETIR, de Maria Thereza Cavalheiro, páginas 86/87)

sábado, 21 de janeiro de 2012

TROVAS DE CARLOS RIBEIRO ROCHA

TROVAS DE CARLOS RIBEIRO ROCHA
                      (04/11/1923-27/11/2011)

É A XÍCARA DE CAFÉ
AINDA QUE REQUENTADO,
A TROVA EM QUE PONHO FÉ
PARA LEVAR MEU RECADO.

QUANDO EMITO ALGUM CONSELHO,
TENDO A TROVA COMO MEIO,
DIANTE DO MESMO ESPELHO
EXAMINO SE ESTOU FEIO.

SÃO NA VERDADE MEUS PUNHOS
MENTAIS, OU MINHAS VINHETAS,
OS INCONTÁVEIS RASCUNHOS
QUE COLOCO NAS GAVETAS.

O MUNDO QUE SE DEFORMA
COM TERROR E ZUMZUMZUM,
VAI DEPENDER DA REFORMA
QUE PROMOVER CADA UM.

(DO LIVRO “CAFÉ REQUENTADO”, PÁGINA 31)

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

VERSOS ÁUREOS

              VERSOS ÁUREOS

       (Tradução e interpretação dos versos áureos de Pitágoras)

A. LACERDA JÚNIOR (São Paulo)


Conserva a tua fé no coração
e rende culto a Deus, com plenitude!
Honra a memória do herói da nação
e de teus ancestrais, com magnitude!

Sê bom esposo, filho, pai e irmão
e como amigo, o amigo da virtude
escolhe, por seguir, sua lição,
o seu conselho e a mais pura atitude!

Em tuas mãos, está vencer paixões,
ser sóbrio, ativo e casto e ao mal fugir!
fechando olhos e ouvido a prevenções!

Se tens bom coração, nos atos teus,
e, entre o bem e o mal, sabes discernir,
tu, entre os imortais, serás um deus!

(Jornal FANAL, nº 564, página 3)

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

TROVAS DE FILEMON MARTINS

TROVAS DE FILEMON MARTINS


Pela terra e pelos mares
eu me afasto dos ateus,
e sinto que em meus cantares,
fico mais perto de Deus.

Teu amor é um lenço branco,
que, de longe, acena ao cais.
E eu fico naquele banco
em vão procurando a paz.

Meu pensamento flutua
ao som das águas do mar,
quando vem, bate e recua,
para, de novo, avançar.

A inspiração peregrina
que mora dentro de mim,
vem com ternura e ilumina
minha poesia sem fim.

domingo, 15 de janeiro de 2012

TROVAS DE ANALICE F. DE LIMA

TROVAS DE ANALICE FEITOZA DE LIMA
(18/09/1938 – 13/01/2012)

Tua carta inesperada
tantos lembranças me trouxe,
que eu vivi de um quase nada,
um quase tudo tão doce!...



Ante a luz que já clareia
a fartura que há de vir,
pecado é ter a mão cheia                    
e não saber dividir.



(Do site www.falandodetrova.com.br)

sábado, 14 de janeiro de 2012

TROVAS DE ANALICE FEITOZA DE LIMA


TROVAS DE ANALICE FEITOZA DE LIMA
(18/09/1938 – 13/01/2012)

                  
Partiste, mas por maldade
para aumentar meu castigo,
fico abraçando a saudade
na ilusão de estar contigo!...

De manhã, se a vista espalho
para olhar coisas mimosas,
vejo pérolas de orvalho
sobre as pétalas de rosas...

Lamento...é um sonho quebrado
na insensatez de um momento,
retalho de alma bordado
no lençol do pensamento...

Vivendo um sonho impossível,
lamento constantemente...´
Por que será que o possível
não vem para as mãos da gente?...

(Site da UBT- São Paulo)


sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

TROVAS DE FILEMON MARTINS

TROVAS DE FILEMON MARTINS

No mundo ninguém sentiu
as dores que já sofri.
Meu coração resistiu,
- por amor estou aqui.

Fazer o bem, meu irmão,
na terra só traz prazer.
Parece que o coração
se renova pra viver.

Não me fascina, na vida,
poder ou fama alcançar,
que a vitória merecida
é pelo amor triunfar!

Minha vida em tua vida
entrelaçada de luz,
traz-me a certeza, querida,
que o teu amor me conduz.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

TROVAS DE MARIA THEREZA CAVALHEIRO

TROVAS DE MARIA THEREZA CAVALHEIRO

Nos bons tempos de menina,
pula-se corda a valer.
Mais tarde – que triste sina! –
a corda nos vem bater.

O mar inquieto é um menino.
Tempestuoso, é um rapaz.
Calmo, reflete o destino
do velho que encontra a paz.

Vem o mar jogar-se aos pés
da penedia arrogante;
ela desdenha as marés
e namora o céu distante.

Na vida, nem todos temos
lenitivo para o estresse...
É como um barco sem remos
em rio que avança e cresce!

(Do livro TROVAS PARA REFLETIR, página 42)

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

ESCREVER


       ESCREVER

            Artur da Távola

Escrever é sina, espanto e faina
amor, afã de tenaz faxina.
Palavra por no que é paina
luz dar a penas ao que ilumina.

Estruma a estrofe dor que suponho
verbo assassino. O poema é mortal.
O verso se esforça, soa bisonho,
quer transcender o idioma banal.

Nutrir-se do mal que o arruína,
banir e amar o impulso medonho.
Verbal é o mel que o determina.

Inscrita na frase do vate tristonho
implode no estro a ilusão cristalina
de ser e estar onde me sonho.

sábado, 7 de janeiro de 2012

UM NOVO TEMPO

UM NOVO TEMPO
(oração)

JÔ TAUIL

Nesse ano que se inicia, Pai
Perdoa meus erros,
minha teimosia,
meu comodismo
Dá-me paciência,
Dá-me perseverança
Dá-me ânimo novo
Quero ser filho da luz
Pois a escuridão
Atormenta meu coração
Dá-me o Ágape,
Amor sem limites,
Amor sem fronteiras
Se com meu amor imperfeito
Só quero o bem dos meus filhos,
O que posso esperar, Senhor,
Do Teu amor perfeição?

Pai Amado, Pai Amigo
Vens sorrindo...
Sorrindo ao meu encontro
Nem reparas
No meu ser tão impuro
Nas minhas vestes rasgadas
No meu coração ferido
Dá-me Tua mão
Mata minha sede
Com Tua água benfazeja
E restaura meu viver
Água viva que mostra
Um mar de possibilidades
Que se abrem em minha vida
Se me entregar a esse amor!

Sou teu!
Aja em mim!
Obrigado, Senhor!

(Do http://www.prefacio.net/ para o Blog)

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

UM NOME NO SILÊNCIO

UM NOME NO SILÊNCIO

            MIGUEL RUSSOWSKY

Uma agenda... o silêncio... o cafezinho...
Tenho tempo de sobra. Escrevo... paro...
Vou desenhar um nome... (o dela, é claro!)
Em que lugar será que fez o ninho?

Casou-se mal, eu sei, hoje adivinho
os males que lhe trouxe o fado avaro...
humilde... conformada... sem amparo...
Há tantas incertezas no caminho!...

O meu primeiro amor passando fome...(?!)
me custa imaginá-la envelhecida...
Melhor não pensar nisso. Apago o nome.

Amei-a. Eu era moço... os anos correm
e vão virando as páginas da vida.
Também as ilusões e os sonhos morrem.

(Da QUARTA ANTOLOGIA POÉTICA DE A FIGUEIRA, PÁGINA 44)

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

TROVAS DIVERSAS

TROVAS DIVERSAS


Quanto mais rápido passa
o tempo a mim concedido,
mais grato eu sou pela graça
de cada instante vivido!
A. A. de Assis – PR

Deus, demonstrando poder,
quando a mulher engravida,
transforma a dor em prazer,
na celebração da vida!
Ademar Macedo – RN

Cada momento vivido
na vida que se renova,
às vezes é definido
apenas em uma trova!
Alberto Paco – PR

Enquanto a vida se enfeita
com sorrisos e saudades,
vou preparando a colheita
das lembranças e saudades.
Alice Bandão – RS