segunda-feira, 30 de abril de 2012


        DIZER



                RODRIGO LADEIRA



Como é bom

dizer ao mundo

o que o mundo

faz de surdo.



Como é bom

dizer a vida

o que a vida

não tem tempo.



Como é bom

dizer a ti

te amo

e você vai dizer

ao mundo

e à vida

como é bom

ser amada.



(Do livro “DESTA COISA & OUTRAS COISAS”, médico e poeta de Itanhaém-SP)

domingo, 29 de abril de 2012

MAL SECRETO

           RAIMUNDO CORREIA

Se a cólera que espuma, a dor que mora
n'alma, e destrói cada ilusão que nasce;
tudo o que punge, tudo o que devora
o coração, no rosto se estampasse;

Se se pudesse, o espírito que chora,
ver através da máscara da face,
quanta gente, talvez, que inveja agora
nos causa, então piedade nos causasse!

Quanta gente que ri, talvez consigo
guarda um atroz, recôndito inimigo,
como invisível chaga cancerosa!

Quanta gente que ri, talvez existe,
cuja ventura única consiste
em parecer aos outros venturosa!

                               

sábado, 28 de abril de 2012


          TROVAS



Contraste se manifesta

a razão seja qual for:

- nem sempre o riso é de festa,

- nem sempre o pranto é de dor.

       SEBAS SUNFELD



Quando se foi meu amor,

fez-se o mundo tão escuro,

que, perdido em minha dor,

hoje ainda me procuro.

       FERNANDES VIANNA



A distância é que nos mata

porque vem logo a saudade;

saudade – presença ingrata

de antiga felicidade.

       FILEMON F. MARTINS



O meu destino se encerra

num grave e eterno conflito:

- meu corpo é feito de terra,

- meu coração, de infinito.

       ENO T. WANKE



(Do livro “ESCRÍNIO”, SELEÇÃO ANUAL DE TROVAS, 1981)

sexta-feira, 27 de abril de 2012


       TROVAS



             CARLOS RIBEIRO ROCHA



Pode ter gente sorrindo,

tentando ser atração,

mas, não pode ser tão lindo

qual este nosso Sertão.



Sejam rosas meu queixume

para meu povo sorrir,

minha alma dará perfume,

onde meu livro se abrir.



Por que não existe apoio

para os nossos escritores?

Mais valor darão ao joio

do que ao trigo, senhores?



Senhor dos montes e vales,

de toda vida, Senhor,

como combater os males,

senão na força do amor?!



(Do livro “PINGOS DE MIM”)

segunda-feira, 23 de abril de 2012


        TROVAS



Não peço o céu numa prece,

nem temo o inferno, querida,

pois quem te amou já conhece

inferno e céu nesta vida...

        Orlando Brito



Não dês tanto desapreço

a quem tanto te quer bem!...

- Este amor que te ofereço

eu nunca dei a ninguém!

        Barreto Coutinho



Naquele dia, tristonho,

pousaste os olhos nos meus:

- vivi na tarde do sonho,

morri na noite do adeus!

        Maria Thereza Cavalheiro



Trago, cravado, no peito

um agridoce desejo:

viver um sonho perfeito

na doçura do teu beijo.

        Filemon F. Martins




Caixa Postal 64

11740-970-Itanhaém – SP.

domingo, 22 de abril de 2012




       MORTE DA ÁRVORE



                Filemon F. Martins

(Lendo o soneto ÁRVORE MORTA, de Padre      Saturnino de Freitas)



Árvore triste, que ontem foi bonita,

não tens mais ramos, frutos e nem flores,

dos pássaros não és mais favorita

e não abrigas mais tantos amores.



Neste teu tronco já ninguém habita,

sequer amantes loucos, sonhadores,

que outrora segredavam na Mesquita

de suas folhas vivas, multicores...



Quantas vezes ouviste namorados

em carinhos e beijos, descuidados,

como se o tempo não fosse passar.



Hoje, teus galhos secos, ressequidos,

são lembranças de sonhos esquecidos,

que nunca mais, na vida, vão voltar!



filemon.martins@uol.com.br 

www.filemon-martins.blogspot.com

Caixa Postal 64

11740-970- Itanhaém – SP.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

TROVAS DIVERSAS

        TROVAS



Quando a dúvida se instala

dentro de um peito infeliz,

não importa o que ela fala,

já se sabe o que ela diz!

        Maria Thereza Cavalheiro



Neste mundo passageiro,

considera, meu irmão:

a cinza do corpo inteiro

cabe na palma da mão.

        Antonieta Borges Alves



Eu vi o rio chorando,

quando te foste banhar,

por não poder, te banhando,

dar-te um abraço, e parar...

        Adelmar Tavares



De que vale a minha trova,

nestes tempos de novela?

Se ela não lê, nem aprova

quando a vejo na janela?

        Filemon F. Martins

quinta-feira, 19 de abril de 2012

T R O V A S

        TROVAS



Um erro não se acoberta:

quando a virtude periga,

há só ternura encoberta

na mão que ao filho castiga.

        Maria Thereza Cavalheiro (*)



Deus adorado que estás

presente em mim, Te agradeço

pelo muito que me dás

quando tão pouco mereço!

        Zé de Ávila (**)



Quase sempre fico mudo

quando a razão perde a cor.

Calar, às vezes, diz tudo

para um bom entendedor.

        Filemon F. Martins



Sou como a cana no engenho!

- Quem dera que assim não fosse! –

Quanto mais dores eu tenho

o meu cantar sai mais doce!

        Luiz Otávio (**)



(*) – Trova de um envelope, em correspondência ao Blog do Filemon.



(**) – (Do livro “TROVAS PARA REFLETIR”, de Maria Thereza Cavalheiro)








quarta-feira, 18 de abril de 2012

CAMINHOS

       CAMINHOS

             Filemon F. Martins

 Eu conheço de perto estes caminhos

onde as águas deslizam pelas grotas,

onde as aves, alegres, fazem ninhos

para depois buscarem novas rotas.



Bons amigos, parceiros e vizinhos,

não há vitórias nem também derrotas...

As árvores acolhem passarinhos

que chegam de paragens tão remotas.



A lembrança me vem ao pensamento,

como era bom viver aquele tempo

em que o sonho embalou o coração.



Eu quisera de novo, estar desperto

e andar, mais uma vez, de peito aberto

pelos caminhos ínvios do Sertão!



filemon.martins@uol.com.br


Caixa Postal 64

11740-970- Itanhaém – SP.

terça-feira, 17 de abril de 2012

T R O V A S D E A M O R

    TROVAS DE AMOR



Quem fala de nós, não sabe,

que esta ternura interior

que nos une,  já nem cabe

na simples palavra Amor...

         Izo Goldman



Quero ser livre, é verdade.

Entretanto, os olhos meus,

vivem minha liberdade

na prisão dos olhos teus!

         Lilinha Fernandes



Se morta eu tiver desejos,

hei de pedir ao meu Deus

para vir cobrar-te os beijos

que por direito eram meus...

         Benedita de Melo



Se crês, amor, que é pecado,

o calor dos meus abraços,

quero remi-lo, pregado

na rósea cruz dos teus braços!

         Erasmo Silva



(Do livro livro “Mil Trovas de Amor e saudade”, páginas 74/77)


quarta-feira, 11 de abril de 2012

DIALÉTICA FALIDA

        DIALÉTICA FALIDA



       NEWTON DE LUCCA (Presidente do TRF-3ª Região-2012)



PERDIDO

O MEU ÚNICO

PODER

QUE ERA FEITO

DE SILÊNCIO

E SÍNTESE

RESTOU APENAS

O TEMPO REPARTIDO

ENTRE O RUÍDO

DAS TESES

E O GEMIDO

DAS ANTÍTESES...



(2ª Antologia do Postal Clube, página 52)

terça-feira, 10 de abril de 2012

TOQUE DE SILÊNCIO

Toque de Silêncio



(Divenei Boseli - São Paulo SP)



Foi breve. Começou ao toque da alvorada,

quando este coração, herói de outra trincheira,

marchando de emoção entrou para a fileira

e logo improvisou a frágil barricada.



Foi lindo. Aconteceu da mística maneira

bem própria da paixão: manteve mascarada

a efêmera ilusão que envolve o tudo e o nada

e nem sequer doeu ver baixas na bandeira...



Foi tudo. Anoiteceu. Na última peleja,

derrota o antigo herói quem não o mereceu

e exibe o coração, sem honras, na bandeja...



Foi triste. Terminou... No peito que era meu,

aos toques do clarim, silente, não lateja:

sepulto no silêncio, o coração morreu!




segunda-feira, 9 de abril de 2012

O SER ESPECIAL

O SER ESPECIAL
Delasnieve Daspet

Cada um de nós é especial.

As nossas limitações - quaisquer sejam, - nada nos modifica, - pois todos somos herdeiros de amor e de esperanças.

Há um mundo a partilhar, e, é necessário que cheguemos a isso, a convivência respeitosa com nossas fraquezas e deficiências.

São tantas as deficiências dos homens... Mas o que é importante é que todos saibamos que, no amor, esse diferencial não existe.

O que existe, isso sim, é a valorização do esforço empreendido na conquista do que almejamos.

O amor amigo, o carinho, o respeito, a valorização, são os critérios que irão mensurar o "eu" especial que cada um de nós possui.

Sejamos felizes!

Feliz Páscoa!

domingo, 8 de abril de 2012

CONTATOS COM A SAUDADE

CONTATOS COM A SAUDADE



      José Corrêa Francisco



O tempo vai guardando na memória

O que fizemos pelo itinerário

Da nossa vida, cujo calendário,

A cada instante marca a nossa história.



Guarda momentos de prazer e glória

Em nossa mente como em relicário.

Também o sonho, algo visionário,

Se perpetua após a trajetória.



Ah, o passado de lembranças tantas!

As esperanças... ilusões... e quantas

Recordações! E esquecer, quem há-de?



Ah, como é bom, no tempo refluir,

Rememorar... com emoção sentir

O que hoje são contatos com a saudade!



(3ª Antologia do Postal Clube, Rio de Janeiro, página 52)

sábado, 7 de abril de 2012

TROVAS

             TROVAS



                FILEMON F. MARTINS



MEU PEITO CANTA, SORRINDO,

AO VER O CLARÃO DO DIA,

ENQUANTO A NOITE FUGINDO

DEIXA RASTROS DE ALEGRIA.



SINTO UM PERFUME NA RUA

FAZENDO A GENTE FELIZ,

ENQUANTO A NOITE FLUTUA

NAS FLORES DE BOGARIS.



UMA LIÇÃO DE HUMILDADE

DEU-NOS OUTRORA JESUS,

AO PREGAR A LIBERDADE,

MORREU PREGADO NA CRUZ.



AQUELE BEIJO DE JUDAS

NO CENÁRIO DA TRAIÇÃO,

REVELA QUE AS TREVAS MUDAS

PODEM TRAIR NOSSO IRMÃO




Caixa Postal 64

11740-970-Itanhaém – SP.


quinta-feira, 5 de abril de 2012

O VALOR MAIOR

O VALOR MAIOR

(Baseado em uma declaração

de Sta. Teresinha de Jesus)



JOSÉ BRITTO BARROS – AGOSTO, 1992.



Não me motiva, Cristo, a adorar-te

O quanto me ofereces por bondade!

Pelo que és, Jesus, eu hei de amar-te

Na terra ou céu, e com fidelidade!



Mesmo por mim não te quiseras dar-te,

Ou não remiras Tu a humanidade,

Ó meu Jesus, eu sempre iria honrar-te

Pelo que és: total grandiosidade!



Eu amo a Ti, meu Cristo do Calvário,

No teu tudo grandioso, extraordinário,

E o só querer-te é o que me faz melhor!



Mesmo que ao céu não fora eu ter contigo,

Eu só te amar, ó meu Senhor consigo,

Da minha vida és o valor maior!