sexta-feira, 20 de abril de 2012

TROVAS DIVERSAS

        TROVAS



Quando a dúvida se instala

dentro de um peito infeliz,

não importa o que ela fala,

já se sabe o que ela diz!

        Maria Thereza Cavalheiro



Neste mundo passageiro,

considera, meu irmão:

a cinza do corpo inteiro

cabe na palma da mão.

        Antonieta Borges Alves



Eu vi o rio chorando,

quando te foste banhar,

por não poder, te banhando,

dar-te um abraço, e parar...

        Adelmar Tavares



De que vale a minha trova,

nestes tempos de novela?

Se ela não lê, nem aprova

quando a vejo na janela?

        Filemon F. Martins

Nenhum comentário: