quarta-feira, 30 de setembro de 2015

CONSTATAÇÃO

CONSTATAÇÃO
Filemon F. Martins

Ontem, por ingenuidade ou credulidade
eu não sabia,
mas hoje eu sei:
tudo o que ele disse
não passou de enganação.
Com frases feitas,
palavras escolhidas iludiu o povo,
que hoje sofre as consequências de sua escolha.
Pior,
muitos ainda não perceberam
o engodo, a embromação
e continuam a aceitar, passivamente,
a multiplicação das falcatruas,
do enriquecimento ilícito,
da propaganda enganosa,
dos desmandos,
das mentiras, da dissimulação
e da manipulação das massas.
Acorda, Brasil!

(LIVRO ANSEIOS DO CORAÇÃO, PÁGINA 40)




terça-feira, 29 de setembro de 2015

TROVAS (FERNANDO CÂNCIO DE ARAÚJO)

TROVAS
FERNANDO CÂNCIO DE ARAÚJO – FORTALEZA-CE (1922/2013)


Adeus... e foste saindo,
dizendo que voltarias...
E a saudade entrou sorrindo,
da mentira que dizias...  

A ilusão da meninice
com meus netos se refez:
– agora, em plena velhice,
eu sou criança outra vez!…

A mão triste, vacilante,
de porta em porta estendida,
é o troféu mais humilhante
que o pobre ganha na vida.

Ao ver-te assim neste encanto,
mãos postas em oração,
fiquei invejando o santo
que olhavas com devoção.

A vida de faz-de-conta
que levo desde menino,
é brinquedo de desmonta
nas peças do meu destino...


(FONTE ALMANAQUE CHUVA DE VERSOS Nº 428, JOSÉ FELDMAN)

PLENITUDE FEMININA (RUBENS BARBOSA SOBRINHO)

PLENITUDE FEMININA
Rubens Barbosa Sobrinho

Dinâmica...
Magnífica...
Empresária do seu próprio eu
Ninfa... capaz de qualquer coisa
Sedutora, rainha do seu próprio Ego...
Charmosa...
Pérola branca capaz de revolucionar a humanidade
Incomum... Atraente...
Como se fossem palavras dos Oráculos.
Maravilhosa... Isto é você, mulher imprescindível...
O mundo lá fora espera por você.


(LIVRO LUZ DE UM POETA, PÁGINA 2, CAPA DE NERCI DE FREITAS)

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

VIDA E VERSOS

VIDA E VERSOS

Filemon F. Martins

Minha vida – jardim da desventura
onde plantei Amor, Compreensão,
tentei colher as flores da Ventura,
porém, só encontrei desilusão.
E no final desta colheita impura
que me restou? Pergunto ao coração:
- sonhos perdidos – flores da amargura
que o meu sepulcro, um dia, cobrirão.

sábado, 26 de setembro de 2015

INGENUIDADE II

INGENUIDADE II

Filemon F. Martins

Que fazer,
se nas lágrimas que derramo
e na sensibilidade do meu canto
os homens viram apenas
um sonhador?
E as mulheres sorriram

indiferentes à minha dor?

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

INGENUIDADE I

INGENUIDADE I
Filemon F. Martins

Que ingenuidade a minha!
Falar sempre a verdade,
dizer tudo o que penso,
tudo o que sinto.
Que vale a verdade hoje em dia,
se apenas um olhar disfarça a mentira
e um sorriso, a falsidade?


terça-feira, 22 de setembro de 2015

PRIMAVERA/MOCIDADE

PRIMAVERA/MOCIDADE

Filemon F. Martins

Gosto de apreciar a primavera
quando a natura ressuscita em flores.
Tudo parece ter ficado à espera
desta pintora que renova as cores.

O campo verdejante logo gera
a esperança que traz novos amores,
a beleza se espalha na tapera
e os jardins ficam mais acolhedores.

O tempo passa e um dia vais embora,
mas a tristeza fica e também chora,
sabendo que depois tu voltarás.

No entanto, em nossa vida a mocidade
passa veloz deixando esta saudade
que nunca passa e dói cada vez mais.

Filemon F. Martins

Caixa Postal 64
11740 - 970 - Itanhaém - SP



domingo, 20 de setembro de 2015

RESPOSTA DO METRÔ DE SÃO PAULO

No dia 31/08/2015 fiz uma reclamação ao Metrô de São Paulo, relatando minha estranheza ao embarcar na estação de Vila Matilde, na ala preferencial. Eis a resposta do Metrô, que agradeço e vou publicá-la no mesmo espaço que usei para fazer a dita reclamação. É justo. Filemon Martins.

Prezado sr. FILEMON FRANCISCO MARTINS


Esclarecemos que o embarque preferencial é destinado aos usuários idosos, gestantes, pessoas com deficiência, com restrição de mobilidade, com crianças de colo que têm o direito ao atendimento preferencial assegurado por Lei.
Pode parecer que não há controle nesse acesso, porque muitas pessoas não tem a deficiência aparente. Hoje é muito comum o uso de próteses que substituem parte ou membros inteiros, como até mesmo gestantes, no início da gestação - quando ainda é difícil a identificação de sua condição - o deficiente auditivo, o portador de HIV, pessoas com câncer, etc. Também os acompanhantes de pessoas com deficiência tem direito ao acesso.
Desde o início de sua operação, a Companhia do Metropolitano sempre se preocupou em informar e orientar seus usuários sobre o uso correto do sistema com o objetivo de promover, dentre outras coisas, uma convivência mais harmoniosa entre os usuários.
Assim, veiculamos mensagens sonoras e campanhas com o objetivo de incentivar um comportamento mais solidário e respeitoso no Metrô, notadamente durante o embarque e desembarque, no embarque preferencial e sobre a utilização dos assentos preferenciais nos trens.
Faz-se necessário reconhecer, entretanto, que o tipo de comportamento descrito relaciona-se a uma questão cultural e de cidadania, que não se resolve apenas com ações no âmbito restrito de um meio de transporte, cabendo, também, a cada cidadão, por lei, zelar e exercer seus direitos e deveres.
Solicitamos que, diante de qualquer problema, procure pela Supervisão da Estação, que está à disposição para o auxílio imediato.
Agradecemos pelo contato e permanecemos à disposição.


Atenciosamente,

Edna Figueiredo
Supervisão de Atendimento ao Usuário
COMPANHIA DO METROPOLITANO DE SÃO PAULO – METRÔ
Comunique-se com o Metrô:
Fale conosco no Site do Metrô: www.metro.sp.gov.br
Central de Informações: 0800-7707722, todos os dias, das 5h30 às 23h30.
Telefone do Usuário nas estações: Tatuapé, Sé e Tucuruvi
Atendimento Pessoal: Central de Serviços - Estação Sé, de 2ª a 6ª feira, exceto feriados, das 7h às 20h.
Correio: Rua Vergueiro, 1200 - Paraíso - CEP 01504 000 - Fax: 3179-2053
Caixa de Sugestões em todas as estações




UMA GLOSA DE CATANDUVA - SP.

Uma Glosa de Catanduva/SP
Ógui Lourenço Mauri
MOTE

Felicidade consiste
olhar a vida risonha;
um brilho que não existe
nos olhos de quem não sonha.
João Batista Xavier Oliveira (Bauru/SP)

GLOSA

Felicidade consiste
em contar com teu sorriso
naquele momento triste,
em que o apoio é preciso.

Felicidade é, contigo,
olhar a vida risonha;
que, de amor eterno e amigo,
mútua atração nos imponha.

Felicidade persiste
ao se inflamar, num instante,
um brilho que não existe
num olhar lacrimejante.

Felicidade, querida,
não deixa a face tristonha.
E só não é percebida
nos olhos de quem não sonha.


(ALMANAQUE CHUVA DE VERSOS Nº 426, JOSÉ FELDMAN))

sábado, 19 de setembro de 2015

SALVE, CASTRO ALVES!

SALVE, CASTRO ALVES!
Carlos Ribeiro Rocha (IN MEMORIAM)

Vivendo, embora, a fase Romantismo,
fluía seu civismo com fulgor,
e assim, o moço fez Condoreirismo,
sendo, ele próprio, o fúlgido Condor.

Amando a liberdade com fervor,
e a pulsar em seu peito o patriotismo,
parlamentou, bradou com destemor,
contra aquela vergonha do Escravismo.

Merece não um só, diversos salves,
pelo seu estro e nobres atitudes,
o imortal condoreiro CASTRO ALVES.

Namorante do mar e das amantes,
no mais pleno vigor da juventude
nos legou as “ESPUMAS FLUTUANTES”.


(LIVRO COROA DE SONETOS, PÁGINA 28)

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

TROVAS DE IZO GOLDMAN

TROVAS DE IZO GOLDMAN (IN MEMORIAM)
(SÃO PAULO – SP)

Tenho medo de mulher
com marido e, mesmo sem...
- da solteira, porque quer...
- da casada, porque tem...

A vida vai prometendo,
não cumprindo e, muito esperta,
quando eu cobro, vai dizendo:

- “qualquer dia a gente acerta...”

terça-feira, 15 de setembro de 2015

TROVAS DE VANDA F. QUEIROZ

TROVAS DE VANDA FAGUNDES QUEIROZ

Ser justo é ter alcançado
esta enorme dimensão:
- Se grande é o mal do pecado,
maior é o bem do perdão.

Nunca seja injusto ou falso,
ao julgar o seu vizinho,
pois quem caminha descalço
não deve plantar espinho.

Sê justo e, ao julgar defeitos,
faze uma pequena pausa,
para lembrar que os efeitos
sempre têm alguma causa.

(MOTIVOS E MATIZES, PÁGINA 28)


segunda-feira, 14 de setembro de 2015

FRAGMENTO DA POESIA O LIVRO E A AMÉRICA

FRAGMENTO DA POESIA “O LIVRO E A AMÉRICA”
             CASTRO ALVES (1847/1871)

Oh! Bendito o que semeia
Livros... livros à mão-cheia...
E manda o povo pensar!
O livro caindo na alma
É germe – que faz a palma,

É chuva – que faz o mar.

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

TROVAS

TROVAS (COLUNA DE TROVAS, MARIA THEREZA CAVALHEIRO, EM O RADAR, DE APUCARANA – PR).

De todo provérbio posto,
creio ser este o mais certo:
- Por que o beijo no rosto,
quando a boca está tão perto?
     Jacy Gê de Almeida

Ter fibra é saber que a vida
não nos pode devolver
a estrela talvez perdida,
mas voltar no céu a crer!
     Maria Thereza Cavalheiro

Na dor que cega e embrutece,
na penumbra que desgosta,
a centelha de uma prece
traz a luz como resposta!
     Josué de Vargas Ferreira

Minha vida é como a rede,
onde se embala a esperança.
Fica à beira da parede,
vem o destino e a balança.

     Maria São José Alves

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

TROVAS DE SAUDADE (DIVERSOS AUTORES)

TROVAS DE SAUDADE (AUTORES DIVERSOS)

Saudade – espelho encantado
que mostra, aos olhos da gente,
toda a imagem do Passado
revivendo no Presente...
P. de Petrus

À saudade dei o braço,
do sonho me fiz amigo,
pois graças a eles eu passo
dias e noites contigo...
José Nogueira da Costa

A solidão me maltrata
e, a brilhar com intensidade,
a lua é um punhal de prata
que me mata de saudade...
Maria Tereza G. Noronha

A saudade, quando ocorre,
sempre causa tanta dor!
Saudade – mal de que morre
quem já morria de amor!
Walter Waeny


(MIL TROVAS DE AMOR E SAUDADE)

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Nota de falecimento

Chegou a hora. O tio Emiliano Pereira de Novais nos deixou. Nascido no antigo Jordão, hoje Ipupiara, em 21/12/1920. Foi casado com Carolina Martins dos Santos Novais, a tia Calu, de saudosa memória. Deixou os filhos Celina Ribeiro de Novais, Arlindo Pereira de Novais, Guiomar Pereira Novais, Isidoro Pereira de Novais, Carolina Pereira Novais, José Pereira Novais e João Novais Neto. Eu o visitei em fevereiro/março quando estive em Ipupiara, em sua casa no aprazível Coxim. O tio Emiliano cumpriu sua missão terrena e silenciou no dia 08/09/2015, deixando-nos muitas saudades.

terça-feira, 8 de setembro de 2015

TROVAS (DIVERSOS AUTORES)

TROVAS (DIVERSOS AUTORES)

Naquele dia, tristonho,
pousaste os olhos nos meus:
— vivi na tarde do sonho,
morri na noite do adeus.
        Maria Thereza Cavalheiro

O inquérito começou
e o inspetor é interrogado:
— O cadáver, como o achou?
— Morto! Senhor delegado...
        Antônio Tortato

Duas vidas todos temos,
muitas vezes sem saber:
– a vida que nós vivemos
e a que sonhamos viver.
        Luiz Otávio

Todo mundo é "boa praça"
quando é chegada a eleição.
Mas, depois que o pleito passa,
o povo fica na mão!
        M. Augusto Costa


(ALMANAQUE CHUVA DE VERSOS, 425, JOSÉ FELDMAN) 

domingo, 6 de setembro de 2015

TARDE DE INTERROGAÇÕES

TARDE DE INTERROGAÇÕES (Filosofando...)
Filemon F. Martins

A tarde vai morrendo mansamente.
O entardecer, aos poucos, vai chegando
trazendo aos corações apaixonados
um misto de saudade e mágoa.

Por que será que esta saudade pesa tanto?
Meu coração, de dor, está aberto,
mas não estou só nesta cidade grande
e muito menos vivo no deserto.

Por que esta mágoa cobre a minha face
e corrói meu coração?
Será que o amor traz sofrimento?
Será que a vida é apenas um tormento?

Mas o mundo é belo, a vida é bela,
quando em nosso íntimo sabemos amar:
amar é conviver com o nosso semelhante,
é doar-se sem nada querer em troca.

Amar é perdoar setenta vezes sete,
como ensinou o Mestre.
Aprendamos, então, a amar, viver e conviver.



filemon.martins@uol.com.br
www.filemon-martins.blogspot.com
Caixa Postal 64
11740-970- Itanhaém – SP.

TROVAS DE AMOR

TROVAS DE AMOR

Creio que você não sabe,
(se sabe, você não crê),
não há no mundo o que acabe
meu grande amor por você.
Delmar Barrão

Da vida pelo caminho,
- em dias claros risonhos –
dei tanto afeto e carinho,
deixei amor – trouxe sonhos...
Ilza Tostes

Das tuas juras fingidas
não guardo nenhum rancor.
- São páginas esquecidas
do livro do meu amor...
Alves Júnior

Das glórias do meu passado,
a maior – meu peito o diz –
seria haver conquistado
um amor que não me quis.


(MIL TROVAS DE AMOR E SAUDADE, PÁGINA 24)

sábado, 5 de setembro de 2015

NEVER MORE (MÁRIO RIBEIRO MARTINS)

NEVER MORE
MÁRIO RIBEIRO MARTINS

Lembro-me bem. Faz hoje um ano apenas...
Ela tocava... Tinha a cor de opala...
Às vezes parecia as açucenas
Exalando perfume em grande escala.

Inolvidáveis mãos... Leves quais penas...
O som do seu piano inda me abala...
Notas suaves... Notas bem serenas
Eram toda a beleza lá na sala.

Hoje! Não sei... Talvez mais forte e linda,
Toque melhor e muito mais ainda,
Toque a mesma canção, mas não me alcança...

Lar... Jovem... O piano recostado...
Sala... Beleza... Foram sonho alado,
Pois apenas ficaram na lembrança!

(LETRAS ANAPOLINAS, POESIA E PROSA, PÁGINA 400)