terça-feira, 8 de setembro de 2015

TROVAS (DIVERSOS AUTORES)

TROVAS (DIVERSOS AUTORES)

Naquele dia, tristonho,
pousaste os olhos nos meus:
— vivi na tarde do sonho,
morri na noite do adeus.
        Maria Thereza Cavalheiro

O inquérito começou
e o inspetor é interrogado:
— O cadáver, como o achou?
— Morto! Senhor delegado...
        Antônio Tortato

Duas vidas todos temos,
muitas vezes sem saber:
– a vida que nós vivemos
e a que sonhamos viver.
        Luiz Otávio

Todo mundo é "boa praça"
quando é chegada a eleição.
Mas, depois que o pleito passa,
o povo fica na mão!
        M. Augusto Costa


(ALMANAQUE CHUVA DE VERSOS, 425, JOSÉ FELDMAN) 

Nenhum comentário: