segunda-feira, 25 de junho de 2012

O GONDOLEIRO DO AMOR


O GONDOLEIRO DO AMOR

Barcarola

DAMA NEGRA



CASTRO ALVES



Teus olhos são negros, negros,

Como as noites sem luar...

São ardentes, são profundos,

Como o negrume do mar;

Sobre o barco dos amores,

Da vida boiando à flor,

Douram teus olhos a fronte

Do Gondoleiro do amor.

Tua voz é a cavatina

Dos palácios de Sorrento,

Quando a praia beija a vaga,

Quando a vaga beija o vento;

E como em noites de Itália,

Ama um canto o pescador,

Bebe a harmonia em teus cantos

O Gondoleiro do amor.

Teu sorriso é uma aurora.

Que o horizonte enrubesceu,

— Rosa aberta com o biquinho

Das aves rubras do céu;

Nas tempestades da vida

Das rajadas no furor,

Foi-se a noite, tem auroras

O Gondoleiro do amor.

Teu seio é vaga dourada

Ao tíbio clarão da lua,

Que, ao murmúrio das volúpias,

Arqueja, palpita nua;

Como é doce, em pensamento,

Do teu colo no langor

Vogar, naufragar, perder-se

O Gondoleiro do amor!?

Teu amor na treva é — um astro,

No silêncio uma canção,

É brisa — nas calmarias,

É abrigo — no tufão;

Por isso eu te amo, querida,

Quer no prazer, quer na dor,...

Rosa! Canto! Sombra! Estrela!

Do Gondoleiro do amor!



(Do livro ESPUMAS FLUTUANTES)

domingo, 24 de junho de 2012

AS DUAS FLORES


AS DUAS FLORES



CASTRO ALVES



São duas flores unidas,

São duas rosas nascidas

Talvez no mesmo arrebol,

Vivendo no mesmo galho,

Da mesma gota de orvalho,

Do mesmo raio de sol.



Unidas, bem como as penas

Das duas asas pequenas

De um passarinho do céu...

Como um casal de rolinhas,

Como a tribo de andorinhas

Da tarde no frouxo véu.



Unidas, bem como os prantos,

Que em parelha descem tantos

Das profundezas do olhar...

Como o suspiro e o desgosto,

Como as covinhas do rosto,

Como as estrelas do mar.



Unidas... Ai quem pudera

Numa eterna primavera

Viver, qual vive esta flor.

Juntar as rosas da vida

Na rama verde e florida,

Na verde rama do amor!



Curralinho, março de 1870


sábado, 23 de junho de 2012

TROVAS


TROVAS





Trabalho só é bacana

se tiver, por sua vez,

uma folga por semana

e férias de mês em mês!

Ademar Macedo – RN



Aprendo com meu enólogo:

rascante só na sangria.

Se o verso não vem análogo,

quebro a jarra em que jazia...

Antonio Cabral Filho – RJ



Buraco de fechadura,
na minha infância inocente,
era a perfeita moldura
das belas primas da gente!
Héron Patrício – SP



Eta mulher jogo duro!

Por mais que eu implore e tente,

não me garante o futuro...

só quer saber de... presente.

João Costa – RJ


quinta-feira, 21 de junho de 2012

TROVAS


        TROVAS



                SYMACO DA COSTA



Vantagem não é ser Rei.

- Portanto, qual a vantagem?

- É ser amigo do Rei

e chefe da vassalagem!



Não vale a pena chorar

por uma causa perdida...

- Ponha o amor em seu lugar;

- só pelo amor vale a vida!



Por que matar a saudade,

se a saudade é bem-querer?

- Quem quiser matar saudade

de saudade há de morrer!



No escuro da estrebaria

dois belos focos de luz:

- Os olhos de Mãe Maria,

quando esperava Jesus!





(Anuário de Poetas do Brasil – 1982, páginas 405/409)

quarta-feira, 20 de junho de 2012

SONATA


        SONATA



                APARÍCIO FERNANDES



Meus olhos trouxeram

o teu sorriso para os meus lábios

como se fosse um beijo.



Meus ouvidos guardaram a tua voz

para que eu a escute em sonhos.



Minhas mãos vazias

estão cheias da tua ausência.



(Anuário de Poetas do Brasil – 1982, página 61)

terça-feira, 19 de junho de 2012

GRINALDAS


GRINALDAS

BARONETO

Adormecido em meu leito de lembranças.
Em serenas recordações de felicidades!
Tal qual criança em fastas de aniversário...
Sonho-te noiva em noites de núpcias!

Tuas alvas vestes, véu e grinalda...
Nos olhos a alegria das suaves manhãs...
Brilham nos madrigais sonhos de criança.
Trazendo em si a candura da menina moça.

Pássaros libertos ao amadurecer da vida
Vamos por entre caminhos floridos...
Livres ao vento concretizando sonhos,
Refletindo amor sem preconceitos!

Na realidade desta fantasia inda te vejo,
Pequena e delicada flor de finas pétalas.
Orvalho dos deuses presente a mim...
Perfume de gardênia em vestes de jasmins!

(www.prefacio.net)


segunda-feira, 18 de junho de 2012

VAGAS


Vagas


Delasnieve Daspet

Observa o fluxo das vagas...
Sua serenidade ao refletir
O céu estrelado
Onde os sóis flutuam...

Observa...
O oceano é o coração da terra
Que líquida, em lágrimas,
Sofre por algo que se perdeu...


(Do site www.prefacio.net)

domingo, 17 de junho de 2012

QUE IMPORTA?




Maria José Zanini Tauil





Que importa

se chove lá fora?

O teu sol interior existe!

Ele brilha para ti!

Que importa

se nuvens esparsas

embaçam teus olhos

e furtivas lágrimas

teimam em rolar?

SERÁ SEMPRE BOM O TEU DIA!

Ouça da natureza

A divina melodia

Mais vida

o Pai te concede!

Não importam as circunstâncias

Hoje é um dia especial

Simplesmente porque

ÉS

UM

FILHO

AMADO

DE

DEUS!


sábado, 16 de junho de 2012

ACORDO


        ACORDO



                Filemon F. Martins



Não quero que me contes

teus segredos, tuas paixões,

meu coração – cheio de amor,

jamais suportaria tanta dor.



Quero apenas que fiques

como se hoje fosse:

meu último dia,

meu último momento,

minha última vez.



Depois, se quiseres,

podes partir,

como se o nosso encontro fosse

um acerto de contas e nada mais.



filemon.martins.blog.uol.com.br

Caixa Postal 64

11740-970-Itanhaém – SP.

quinta-feira, 14 de junho de 2012

DESARMADA


DESARMADA



ZANY LOPES



Estou desarmada pela solidão
Sinto a tua falta em tudo que faço
Ouço uma música e me lembro de nós dois
Vejo um casal namorando e sinto meu coração apertado
Me lembro de nós dois,
nos dizíamos eternos apaixonados...

Grito teu nome em pensamento
para ver se escutas o meu tormento
mas tudo é em vão
só faz aumentar o meu sofrimento...

A tristeza me faz muda
Minha boca amarga a falta dos teus beijos
Meu corpo pede os teus carinhos
Minhas mãos te procuram sem saber
que nunca mais vou te ver...

Queria o calor do teu corpo
Queria o gosto dos teus beijos
Queria o doce do teu perfume
o brilho dos teus olhos
o frescor da tua juventude
O teu amor em toda plenitude.



(www.prefacio.net)

quarta-feira, 13 de junho de 2012

SÓ PORQUE ME AMAS...


SÓ PORQUE ME AMAS....

ANGELA FARIA DE PAULA LIMA


Porque te permitiste amar-me assim
É que enfim conheceste a saudade
Agora já não vives mais sem mim
É da essência do amor essa verdade!...

Não precisas sofrer tanto. Pois enfim
Eu voltarei! Sabes bem a realidade...
Porque te permitiste amar-me assim
É que enfim conheceste a saudade...

Acredita meu amor, creia em mim
Pois eu te amo com total sinceridade
Voltarei! As faces rubras, carmesim
Para matar os teus desejos e vontades!...

Porque te permitiste amar-me assim!...



terça-feira, 12 de junho de 2012

TROVAS EM PARCERIA COM NADJA RAMALHO


Trovas em parceria com Nadja Ramalho



"Fazer o bem, meu irmão,
na terra só traz prazer.
Parece que o coração
se renova pra viver."
Filemon Martins

Na renovação de cada dia
O amor se faz presente
A beleza de tua poesia
Torna mais feliz a vida da gente.
Nadja Ramalho



domingo, 10 de junho de 2012

ESCADA DE TROVAS


         ESCADA DE TROVAS



FILEMON F. MARTINS



SUBINDO:



“SURGE NOS BRAÇOS DE UM SONHO”

numa beleza sem fim,

e a poesia que componho

fica mais perto de mim.



“DE REPENTE, A LUA MANSA”

aparece sorridente

dando vivas à esperança

e sorrindo à minha frente.



“O ESPAÇO É VASTO E MEDONHO”

quase sempre me dá medo,

que às vezes fico tristonho

pensando no teu segredo.



“É FRIO, A NOITE DESCANSA”

e sonho com as estrelas

tão belas, ninguém alcança,

- só é permitido vê-las.



“É FRIO, A NOITE DESCANSA;

O ESPAÇO É VASTO E MEDONHO.

DE REPENTE, A LUA MANSA

SURGE NOS BRAÇOS DE UM SONHO.”

        

         HUMBERTO DEL MAESTRO

                   VITÓRIA – ES.




filemon.martins.blog.uol.com.br

Caixa Postal 64

11740-970- Itanhaém – SP.