sábado, 31 de março de 2012

TROVAS

                TROVAS



                        FILEMON F. MARTINS



Velhos livros – meus amigos,

Jamais me deixam na mão.

Visito locais antigos,

Sem nunca sair do chão.



És humilde – alguém me disse,

Em trovas vou espalhando:

Amor, bondade e meiguice

Aos netos que vão chegando...



Gosto da vida pacata,

Homens simples dos sertões,

Pois vejo usando gravata

Por aqui muitos ladrões.



A tarde morre e descansa

Nos braços da noite escura,

E enquanto esta cena avança,

Morro também de amargura.






Caixa Postal 64

11740-970-Itanhaém – SP.

sexta-feira, 30 de março de 2012

O TEMPO

O TEMPO



Baroneto

O tempo se vai...
Como o vento que passa.
Deixando rastros de saudades!
Tatuando na alma segredos.

No horizonte o sol repousa.
O manto da noite beija a terra!
Estrelas são pétalas em luz...
A lua soberana em poesias se traduz!

Vêm em mim lembranças...
Deixo flutuar desejos em ligeiros devaneios
Teu vulto, adultos sonhos me enlaçam.

Sou tal qual um beija-flor a esperar...
Voando na esperança de encontrar,
O desabrochar de tua meiga flor!

(www.prefacio.net)

quinta-feira, 29 de março de 2012

O POEMA

             O POEMA



                    HUMBERTO DEL MAESTRO



A busca da palavra perfeita,

da frase que enfeita,

do assunto que empolga...

A liberdade na escolha do estilo

e do verso,

a franqueza aparente; no fundo, o sigilo

e, finalmente, a narrativa encantada...

Eis o poema!



(Do livro “Monólogos Íntimos e Alguns Sonetos”, página 16)

quarta-feira, 28 de março de 2012

FELIZ DIA DO(A) AMIGO(A)

FELIZ DIA DO(A)  AMIGO(A) -
 



IALMAR PIO SCHNEIDER - Porto Alegre - RS



Depois de tantos versos que escrevi

pensando num amor que não havia,

agora cai a ficha e penso em ti,

para te dedicar minha poesia...



Eu sei que vais andando por aí
e sem pensar em mim preenches teu dia,

enquanto vou sofrendo o frenesi
de alimentar-te em minha fantasia...



Preciso te dizer versos antigos,

embora tenham sido revelados

bem antes de te amar e conhecer...



porque eles foram sempre meus amigos
e não podem ser hoje recusados,

pois sei que me ajudaram a viver...


segunda-feira, 26 de março de 2012

DESCOBERTA

        DESCOBERTA



             THÉO DRUMMOND



A nuvem foi passando em disparada,

e sumindo, saiu da minha vida.

Não ficou um pedaço dela, nada,

e eu senti que era como despedida.



Talvez adiante fosse, inesperada,

uma chuva que fosse recebida

pela terra, que há tanto esturricada

nem dava a serventia da comida.



Aquela nuvem me deixou pensando

como a gente se engana imaginando

que a morte é a vida apenas acabada.



Mas não é. Como a nuvem que sumiu,

transformada na chuva que caiu,

a morte é uma outra vida, transformada.



(Do livro “Porta do Coração”, página 58)


domingo, 25 de março de 2012

TROVAS

Trovas Lírico-filosóficas:



Pedro Ornelas



Não há roceiro que possa

na cidade ser contente...

Porque a gente sai da roça

e a roça não sai da gente!



Que delícia o beijo doce

que te dei com emoção!

Melhor fora, se não fosse

somente imaginação...



Sei disso, e tenho certeza,

mesmo sem ser professor:

Não se diz “Mãe Natureza,

o certo é “Pai Criador!



Com certeza Deus se agrada

do gesto nobre de quem

com outros que não têm nada

divide o pouco que tem!



Tenho o rancho, a propriedade,

mas minha Maria... Quede?

Em vez dela, hoje, a saudade

deita comigo na rede!


sábado, 24 de março de 2012

GRANDE VÔO

             GRANDE VÔO



                    VANDA FAGUNDES QUEIROZ



Ao contemplar na plácida amplidão

a ave pequena em leve trajetória,

penso em mim mesma e na limitação

da vida humana confinada e inglória.



Neste cotejo, mostra-me a ilusão

desigualdade autêntica e notória.

E tanto amarga tal comparação,

que sinto aflita esta alma merencória.



- Eu bem quisera da ave ter a sorte

e dominar,  liberta, a imensidade!...

Talvez, porém, não seja assim tão forte



ou tão segura – eis que me volta o tino:

Embora alcance plena liberdade,

retorna sempre ao ninho pequenino.



(Do livro “Conversa Calada”, página 35)


segunda-feira, 12 de março de 2012

FIAT LUX

                FIAT LUX



            Aparício Fernandes



Dentro de nós, em luta singular,

há dois princípios que se digladiam

e pela nossa mente se irradiam,

na tentativa de nos dominar.



O princípio do Bem nos manda amar,

com eflúvios sutis que acariciam.

Logo depois, porém, se pronunciam

forças do Mal, levando-nos a odiar.



E enquanto a luz não sobrepuja a treva,

pagamos um tributo que nos leva

a dissipar nossas forças vitais.



Por isso, a Deus pedimos esta graça:

Que a luz em nosso espírito se faça

e não se apague nunca... nunca mais!



(ANUÁRIO DE POETAS DO BRASIL, 1º VOLUME, 1980, PÁGINA 52)


domingo, 11 de março de 2012

PREDESTINADO

             PREDESTINADO



                    FILEMON F. MARTINS



Passo a passo, vivendo solitário,

- predestinado para o sofrimento,

vou subindo o meu íngreme calvário

sob o peso da mágoa e do tormento.



E como um sonhador, no mundo vário,

procuro Paz, Amor, Contentamento,

mas no meu tortuoso itinerário

só encontro amargura e fingimento.



E a Esperança da Vida vai passando,

e eu descrente de tudo vou ficando

na solidão que o mundo me ofertou;



mas a Poesia, doce companheira,

está sempre comigo a vida inteira,

dando-me a Paz que a sorte me negou!

sábado, 10 de março de 2012

                   SONETO


                   GUILHERME DE ALMEIDA


Fico – deixas-me velho. Moça e bela,

partes. Estes gerânios encarnados,

que na janela vivem debruçados,

vão morrer debruçados na janela.



E o piano, o teu canário tagarela,

a lâmpada, o divã, os cortinados:

“Que é feito dela?” – indagarão – coitados!

E os amigos dirão: “Que é feito dela?”



Parte. E se olhando atrás, da extrema curva

da estrada, vires, esbatida e turva,

tremer a alvura dos cabelos meus,



irás pensando, pelo teu caminho,

que essa pobre cabeça de velhinho

é um lenço branco que te diz adeus!



(Do livro “MEUS VERSOS MAIS QUERIDOS”, páginas 49/50)


sexta-feira, 2 de março de 2012

AMOR E SAUDADE

AMOR E SAUDADE



        EDIMO GINOT



O amor é tão forte e tão vivo

que transcende a vontade do ser

pois se morre, renasce mais vivo

e transforma a vida em viver



A saudade é que às vezes nos leva

a lugares onde não se quer ir

sentimentos envoltos em trevas

que ainda têm o dom de iludir



(do livro POETA VENCIDO, página 46)


quinta-feira, 1 de março de 2012

AMOR DE PRIMAVERA...

AMOR DE PRIMAVERA...



POETA NATAN



Eu amo assim
Com ternura e sem disfarce
Esta é minha forma de amar
Tenho amor dentro do peito
Amar tem ser perfeito
Amo-te com loucura
Tenho olhos brilhantes
O meu amor tem ternura
Tenho alegria...
Pra mim amor é harmonia.
Harmonia vinda do céu...
E uma nuvem fosse o longo véu
Que nos envolvesse eternamente.

Saibas que tu é a minha musa...
Da eterna primavera.




(www.prefacio.net)