domingo, 11 de março de 2012

PREDESTINADO

             PREDESTINADO



                    FILEMON F. MARTINS



Passo a passo, vivendo solitário,

- predestinado para o sofrimento,

vou subindo o meu íngreme calvário

sob o peso da mágoa e do tormento.



E como um sonhador, no mundo vário,

procuro Paz, Amor, Contentamento,

mas no meu tortuoso itinerário

só encontro amargura e fingimento.



E a Esperança da Vida vai passando,

e eu descrente de tudo vou ficando

na solidão que o mundo me ofertou;



mas a Poesia, doce companheira,

está sempre comigo a vida inteira,

dando-me a Paz que a sorte me negou!

2 comentários:

Anônimo disse...

Voce sempre me encanta;meu amigo
seus versos são realmente de quem sabe o que é poesia e nos toca fundo....
Carinhosamente Beijos Mil-Ly-

Anônimo disse...

Olá Filemon.

Há tempos não passo por aqui. E me deparo com este soneto muito bom. Legal mesmo.

Um abraço
EG