sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

GRINALDA DE TROVAS

GRINALDA DE TROVAS 
Filemon F. Martins 


Vive sem paz, meu amigo, 
sem cultivar a harmonia 
sem pressentir o perigo 
quem aos outros calunia. 

Quem aos outros calunia 
sem procurar a verdade, 
tem a vida mais vazia 
por interesse ou maldade. 

Por interesse ou maldade 
é burrice e covardia 
quem age sem humildade 
não pode ter alegria. 

Não pode ter alegria, 
quem vive sem amizade. 
Não há luz, sabedoria, 
nem paz e felicidade. 

Os versos em negrito formam a trova mãe, do autor. 

Quem aos outros calunia 
por interesse ou maldade, 
não pode ter alegria 
nem paz e felicidade. 


filemonmartins@bol.com.br 
filemon.martins@uol.com.br 

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

REMINISCÊNCIA

REMINISCÊNCIA
Filemon F. Martins

Nos meus dias repletos de poesia,
naqueles tempos cheios de emoção,
batia, no meu peito, o coração
em busca dessa paz tão fugidia.

Recordo aqueles versos que escrevia,
brincando nas Chapadas do Sertão,
quando os sonhos na vida muitos são
e a Esperança no Amor é uma alegria.

Mas as portas da vida se fecharam,
e tudo não passou de um breve sonho,
e as oportunidades se acabaram...

Hoje! Esperanças – folhas destruídas...
Da vida – flores, rosas, pressuponho
só restam amarguras recolhidas!...

Caixa Postal 64
11740-970-Itanhaém - SP