segunda-feira, 26 de março de 2012

DESCOBERTA

        DESCOBERTA



             THÉO DRUMMOND



A nuvem foi passando em disparada,

e sumindo, saiu da minha vida.

Não ficou um pedaço dela, nada,

e eu senti que era como despedida.



Talvez adiante fosse, inesperada,

uma chuva que fosse recebida

pela terra, que há tanto esturricada

nem dava a serventia da comida.



Aquela nuvem me deixou pensando

como a gente se engana imaginando

que a morte é a vida apenas acabada.



Mas não é. Como a nuvem que sumiu,

transformada na chuva que caiu,

a morte é uma outra vida, transformada.



(Do livro “Porta do Coração”, página 58)


Um comentário:

Anônimo disse...

Que bom vir aqui e deparar com esta poesia tão maviosa do noso querido Théo;que SAUDADESSSSSSSS.
Carinhosamente beijos mil-Ly