quinta-feira, 19 de abril de 2012

T R O V A S

        TROVAS



Um erro não se acoberta:

quando a virtude periga,

há só ternura encoberta

na mão que ao filho castiga.

        Maria Thereza Cavalheiro (*)



Deus adorado que estás

presente em mim, Te agradeço

pelo muito que me dás

quando tão pouco mereço!

        Zé de Ávila (**)



Quase sempre fico mudo

quando a razão perde a cor.

Calar, às vezes, diz tudo

para um bom entendedor.

        Filemon F. Martins



Sou como a cana no engenho!

- Quem dera que assim não fosse! –

Quanto mais dores eu tenho

o meu cantar sai mais doce!

        Luiz Otávio (**)



(*) – Trova de um envelope, em correspondência ao Blog do Filemon.



(**) – (Do livro “TROVAS PARA REFLETIR”, de Maria Thereza Cavalheiro)








Nenhum comentário: