quinta-feira, 27 de outubro de 2011

PORTA ABERTA

PORTA ABERTA
    Théo Drummond


Se  tu queres sair vê que a porta está aberta.
Nunca mais a tranquei por que há muito sentia
Teu amor se extinguir, por isso eu já sabia
O que ia acontecer, e agora pouco importa.

O tempo é sempre assim: ele cria e ele corta
O que quer que aconteça em nossa vida, um dia.
E sem pensar na dor nosso caminho entorta,
E faz da dor a dor que em nós mais nos doía.

Não faz mal que te vás, por outro amor levada.
Peço, apenas que saias sem dizeres nada,
Pois nada o que disseres me ajuda ou conforta.

Sejas feliz com o outro e nem lembres de mim.
Há tempos que eu já vivo a chegada do fim,
Por isso vai-te embora e fecha logo a porta.



Nenhum comentário: