segunda-feira, 24 de outubro de 2011

FÊNIX

            FÊNIX

                        Jô Tauil

DE QUANTAS MORTES MORRI?
DE TRISTEZA E DE BELEZA
DOS AMORES QUE VIVI
DOS AMORES QUE PERDI
MAS DE CADA MORTE
RADIANTE, RENASCI!
BORBOLETA COLORIDA
VIDA BREVE E INTENSA
RETORNOS CONSTANTES
RENOVADAS PRIMAVERAS
SOU FLOR, FLORES, FLORESTA
SOU PARTE DE DEUS
SOU VOO DOS QUE ME CERCAM
SOU O ABRAÇO AMPLO
DO ESPAÇO QUE ME ENLAÇA
QUANDO, COMO NARCISO
OLHO-ME NAS ÁGUAS
OU ME AFOGO EM LABAREDAS
PORQUE, COMO FÊNIX
À CADA MORTE
RENASCO...


(DO SITE WWW.PREFACIO.NET)

Nenhum comentário: