domingo, 21 de novembro de 2010

TROVAS

TROVAS
             IZO GOLDMAN (São Paulo – SP.)

No abismo da solidão
onde o remorso se esconde,
há mil gritos de perdão
e um eco que não responde...

Tenho medo de mulher
com marido e, mesmo sem...
- da solteira, porque quer...
- da casada, porque tem...

No livro da nossa vida
por culpa do teu ciúme,
a estória foi dividida
e eu fiquei noutro volume.

A vida vai prometendo,
não cumprindo e, muito esperta,
quando eu cobro, vai dizendo:
- “qualquer dia a gente acerta...”

(Anuário – Coletânea de Trovas Brasileiras-1979-página 54-organização Fernandes Vianna-Recife-PE)

Um comentário:

Miguel Eduardo Gonçalves disse...

Beleza de trovas; boa leitura, escorrega.
Belo trabalho o seu, caro Filemon, que vou aproveitando muito bem. Faz bem ao corpo e à mente!
Abs., Miguel-