terça-feira, 7 de dezembro de 2010

NATAL

“Aquele que crê em mim, ainda que esteja morto, viverá”. Palavras de Jesus.

                   NATAL
                            Jacy Pacheco (Niterói)
Sempre o ano termina em farta messe
para alguns, na efusão de vinhos finos,
enquanto a fome cresce e recrudesce,
marcando um festival de desatino.

Por isso é que dezembro me entristece!
Quando fulge o Natal, tangendo sinos,
ergo ao menino-Deus ardente prece:
- Jesus! Zelai por todos os meninos.

Olhai os pobres órfãos, sem sustento,
os que, fitando o céu, penando, embora,
buscam seguir o vosso ensinamento!

Se o mundo treme aos pés dos pecadores,
nascei sempre, Jesus, a cada hora,
no coração dos vossos seguidores!

(Coletânea O TEMA É NATAL, página 10, I Concurso Norte-Fluminense de Sonetos, do Instituto Campista de Literatura, Campos, RJ.)

Um comentário:

Juliana de Araujo disse...

Lindo poema, triste realidade que vislumbram nossos olhos... O presente que recebemos de Deus deve ser conhecido por todos: Jesus, o natalício! O nosso Pão da Vida, Água Viva, nosso Maná, nosso Salvador, nosso tudo! Repartamos as boas novas com todos!
Sou amiga do Sammis aqui de São Paulo! Gostei do seu blog. Eu o acompanharei!

Mantenho também um blog de poesias, se desejar avistar, ei-lo:

http://noitaradaspassadas.blogspot.com/

Deus o abençoe em Cristo, Juliana