segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

MEU FIO-TERRA

MEU FIO-TERRA                                      
            Nadja Ramalho
Sem você sou como
Barco sem remo
Peito sem coração
Rosa sem perfume
Panela sem tampa
Pote sem água
Cama sem colchão
Filho sem mãe
Computador sem monitor
Casa sem luz
Céu sem estrelas
Sertão sem chuva
Praia sem sol
Corpo sem vida
Jardim sem flores
Alma sem rumo

Afinal
Sem você
Sou queda de energia
Que a qualquer momento
Pode explodir e desaparecer
Tudo isso porque
Você é o sustentáculo
Que me protege de todos os males
Que porventura possam aparecer
Enfim,você é o meu fio-terra
(Do site www.prefacio.net – com autorização da autora)

2 comentários:

marilandia disse...

"...Corpo sem vida
Jardim sem flores
Alma sem rumo..."

PÉROLAS POÉTICAS DE NADJA RAMALHO!!!

Marilândia

Miguel Eduardo Gonçalves disse...

Desde a escolha da poeta, a sensibilidade do amigo Filemon só faz nos contemplar! É perfeito por tema "MEU FIO-TERRA", que parece vir para mostrar o sabor da vida!

Aos amigos queridos, abraços,
Miguel-