terça-feira, 11 de janeiro de 2011

POENTE DA VIDA

POENTE DA VIDA
                        Cidoca da Silva Velho (São Luís da Paraitinga, SP)

É impossível voltar ao tempo antigo
com tudo começando novamente!
Mesmo assim quero ser o teu abrigo
nesta fase da vida de sol poente!

Quantas horas perdemos, meu amigo,
na escalada dos tempos, tristemente!
E passou a ilusão que hoje eu bendigo
por ver-te em minha estrada, frente a frente.

Foge do vento frio dos caminhos!
Escondidos nos galhos farfalhantes
vê quanto amor existe pelos ninhos.

Há de florir em versos palpitantes
o nosso amor, só feito de carinhos,
num turbilhão de rimas delirantes.

(ANUÁRIO DE POETAS DO BRASIL, 1980, página 90, 2º volume, organização de Aparício Fernandes, RJ).

Nenhum comentário: