domingo, 9 de janeiro de 2011

TROVAS

TROVAS
                   Carlos Ribeiro Rocha (Salvador-Bahia)
O que eu dizia, em meu canto,
na trova, agora, reforço:
Nenhum dente morde tanto
como dente do remorso...

Se queres, na tua estrada,
um quadro que te conforte,
vê, na semente plantada,
a vida dentro da morte.

A terra, a mata florida,
o mundo e os portentos seus,
isto é grandeza da vida,
e a vida – a força de Deus.

Cabeça, meu companheiro,
onde a prudência não medra,
é a cabeça do outeiro
cujo miolo é só pedra.

(Correspondência em poder de Filemon)

Nenhum comentário: