sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

VIAJANTE

     VIAJANTE
            Miguel Eduardo (São Paulo-SP)

Perco-me em curioso pensamento
Nele sinto um perfume conhecido
Que traz uma saudade sem sentido
Lembrança causadora do momento

Agora, passo a passo esse acalento
Pintado que se fora tão morrido
Um sonho que sentisse por ter ido
Imprevisto disfarce ao sentimento

Nem sequer o prazer é um ensaio
Segredo destinado à fantasia
Da vida tempo raro onde recaio

Que todas as volúpias desse dia
Vieram das memórias de um diário
Miragens do horizonte em melodia
(Copiado do site www.prefacio.net)

2 comentários:

Miguel Eduardo Gonçalves disse...

Meu sempre gentil amigo, obrigado pela oportunidade. Teu blog está ótimo, um prato cheio para quem gosta!
Abraço forte,
Miguel-

marilandia disse...

Em "VIAJANTE" o poeta Miguel Eduardo expõe seu singular versejar.
Como sempre, MAJESTOSO POEMAR!!!

Marilândia