terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

APENAS SÓ...

Apenas só*
Karinna

Pudesse adivinhar-te
Entre silêncios e palavras
Em conjecturas escarlates
Pintadas nas pseudo vidraças...
Pudesse vislumbrar-te
Entre os cinzas que me tomam
Sufocando todos os meus sons
Dissonantes tentativas...
Desgarradas dos meus vãos.
É somente meu esse abandono
Íntima confissão cabisbaixa
Ecoando em rubras clausuras
Sufocando-me de tuas ausências,
Desafinadas de ternuras...
Nesse segundo sou apenas solidão
E meus olhos desbotados são telas
Boreais, das minhas inúteis quimeras.

Sou apenas só...
Karinna*      
(Do site www.prefacio.net)

Um comentário:

Karinna* disse...

*Uma honra estar entre Poetas de tanta grandeza.
Grata pelo apreço e por esse carinho meu amigo.
Abraço-te
Karinna*