segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

SE PUDESSE

SE PUDESSE
              Théo Drummond
Pudesse dar-te a estrela que aparece
- antes da noite vir – tão branca e pura,
e que no céu, sozinha, permanece
depois que a noite vem, soturna e escura.

Também dar-te-ia a lua, se pudesse,
e o sol, e as nuvens cheias de brancura,
e o vento, as flores, tudo mais que houvesse
para provar-te o amor que não tem cura.

Na verdade, são sonhos que comigo
carrego na certeza de que não
poderei alcançar o que persigo.

Mergulhado em tremenda frustração
por perceber que nada mais consigo,
eu só posso te dar meu coração.

(Do livro PORTA DO CORAÇÃO, página 52)

Nenhum comentário: