domingo, 17 de abril de 2011

SONHO DE SOL

SONHO DE SOL
          Mendes de Oliveira (Poeta mineiro – 1879/1918)

Depois de sua lúcida agonia,
morreu, ao longe, o sol, tremeluzindo.
Aves, em bandos gárrulos, vão indo
à procura da verde ramaria.

Desce da tarde a doce nostalgia
sobre os campos da paz, que vêm florindo;
no ilimitado azul do céu infindo
acorda a loura estrela que dormia.

Palidamente, o luar, sonambulando,
aparece por cima do alto monte,
como um castelo enorme, venerando...

E passa, às vezes, pela minha fronte
a idéia de que é o sol que anda sonhando,
perdido, vagabundo, no horizonte...

(Do periódico BALI, julho de 2004, página 12)

Nenhum comentário: