quarta-feira, 18 de maio de 2011

O MAL DE CADA DIA

 O MAL DE CADA DIA

       Mário Barreto França (poeta pernambucano)

Sim, eu sei a injustiça que hei sofrido.
Que vontade me vem de protestar!
Mas, domino este impulso e, decidido,
Continuo servindo à Pátria e ao lar.

Não choro ter, ó Deus, algo perdido,
Pois sei que muito mais tens para dar.
O que me dói é ver o amor fingido
Em ter-se, a qualquer preço, um bom lugar...

Quanta ambição de alguns o peito invade,
Pois para alimentar sua vaidade,
Mancham e ofendem de outros a moral.

E, nesse anseio de melhor destino,
Esquecem de Jesus o nobre ensino:
- “A cada dia basta o próprio mal!”


(Do livro “VEJO A GLÓRIA DE DEUS” página 119)

Mais informações sobre o saudoso poeta você encontra em:  http://www.usinadeletras.com.br/exibelotextoautor.php?user=filemonf

Nenhum comentário: