quarta-feira, 25 de maio de 2011

PALAVRA IMENSA

                         PALAVRA IMENSA

                           Stela Câmara Dubois

             Este azul, este clima, esta faustosa
             Tarde que vai morrendo sem gemidos:
             Os profundos silêncios esquecidos
             De uma força, no entanto, esplendorosa.

             Esta reserva incógnita, radiosa,
             Que suporta os embates mais renhidos;
             Os pensamentos altos, decididos,
             Roteiros de uma vida mais ditosa.

             Tudo isto, meu Deus, é a Tua Mão
             Do infinito descendo ao coração,
             Para salvá-lo e dar-lhe o Teu favor,

             De cujos dedos, numa luz intensa,
             Cai, flamejando, esta palavra imensa:
             AMOR É DEUS, AMOR, SOMENTE AMOR!

             (Do livro RAMALHETE DE MIRRA, página 65)

Nenhum comentário: