domingo, 22 de maio de 2011

VAZIO NA ALMA

VAZIO NA ALMA
Jô Tauil

Fujo deste olhar
Tão simulado
Que dor não suaviza
E põe chama no
amor
No giro do tempo
Não cultivo mudanças
Dou-te meus ais
Presenteio lembranças
E alento em suspiros
No coração a
esperança
Às vezes penso
Ausentar-me de ti
Não mais te ver
Pois injusto é o amor
Insensível aos gemidos
Gritantes da alma
Para tão tímidos ouvidos
Não...não quero mesmo
Tornar a ver-te
E acuso desvairada
A minha estrela
Que não foi de sorte
Mas de puro azar
Cruzares naquela noite
O meu caminho
E mudar meu
destino...
(Do site www.prefacio.net)




Nenhum comentário: