sexta-feira, 10 de junho de 2011

MUDANÇA

                      MUDANÇA
                                      Théo Drummond

         Durante muito tempo não sonhei,
        e se sonhei, do sonho não lembrava.
        Antes de levantar sempre fiquei
        a ver se de algum sonho recordava.

        A todas as pessoas que eu contava
        entre elas lembro de uma que encontrei
        que se viesse a sonhar logo acordava,
        com medo de uma coisa que não sei.

        Foi de uns tempos pra cá que quando deito
        eu vejo alguém vir caminhando à toa,
        e ao vê-la, linda e pura, me deleito.

        E ao me acordar sinto uma coisa boa,
        mas embora feliz e satisfeito,
        quero encontrar, na vida, esta pessoa.

        (Do livro PORTA DO CORAÇÃO, página 43)

2 comentários:

Filemon F. Martins disse...

Fazendo teste em comentários. Filemon.

Miguel Eduardo Gonçalves disse...

Por onde andará o Théo? Poeta de primeira! Boa lembrança, caro Filemon, trazê-lo em poesia para nós. Abs., Miguel-