domingo, 24 de julho de 2011

                SONETO

              Ialmar Pio Schineider (Porto Alegre-RS)         

Depois de tantos versos que escrevi
pensando num amor que não havia,
agora cai a ficha e penso em ti,
para te dedicar minha poesia...

Eu sei que vais andando por aí
e sem pensar em mim preenches teu dia,
enquanto vou sofrendo o frenesi
de alimentar-te em minha fantasia...

Preciso te dizer versos antigos,
embora tenham sido revelados
bem antes de te amar e conhecer...

porque eles foram sempre meus amigos
e não podem ser hoje recusados,
pois sei que me ajudaram a viver...


Um comentário:

Anônimo disse...

Prezado Filemon

Quero agradecer-lhe a gentileza de ter postado o meu soneto em seu maravilhoso blog. Abraços, Ialmar Pio