domingo, 21 de agosto de 2011

TROVAS

            TROVAS
                        OLINDO DE LUCA

Quando ela, na despedida,
beijou-me fria e contente
senti que estava perdida
toda a esperança da gente.

Meus olhos são suas fontes
onde há pranto todo o dia,
fontes que nascem dos montes
chamados melancolia.

Vazio que a saudade cobre
sem esperança ou paciência...
Eis quando a gente descobre
o que é chamado de ausência...

Amor, de nossos desejos
de uma sensação maluca,
ficaram ardentes beijos
e a saudade que machuca.

(Anuário de Poetas do Brasil, 1981 – 2º volume, página 367)

Nenhum comentário: