quinta-feira, 3 de maio de 2012


SAUDADES DE ÓRFÃO



        Mário Barreto França



Diante do teu retrato, mãe querida,

Ao ver-te assim tão bela e tão serena,

Penso: se foras viva, a minha vida

Seria mais feliz e mais amena.



Creio que esse pesar que me envenena,

Nessa desilusão incompreendida,

Mudaria em minha alma a triste cena

No quadro da alegria conseguida...



E eu cantaria um hino de vitória,

Comporia um poema em tua glória,

Para que a alma modesta da orfandade,



Ao repetir os versos que eu fizesse,

Elevasse a Jesus a humilde prece

Da gratidão, do amor e da bondade.



(Do livro “O LOUVOR DOS HUMILDES”, página 19)

Nenhum comentário: