sexta-feira, 19 de outubro de 2012

TROVAS DE EUCLIDES P. CUNHA-INHAÚMA-MG.


TROVAS DE EUCLIDES PEREIRA DA CUNHA

 

O sol no ocaso desmaia

deixando na terra as brumas;

as ondas batem na praia

tecendo rendas de espumas.

 

Quem dá valor à riqueza,

fazendo do ouro um troféu,

não dá valor à pureza,

que só tem valor no céu.

 

Não temo da vida a afronta,

nem os maus ventos dispersos,

eu colho o bem que desponta

da semente de meus versos.

 

Vejo a chuva na vidraça,

como lágrimas de prata,

chorando a dor que não passa,

na saudade que me mata.

 

(Do livro “GENTE E COISAS NA FRONTEIRA DAS LEMBRANÇAS”, página 21)

Nenhum comentário: