segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

NATAL


Natal

Stela Câmara Dubois

 

- Já não há mais lugar! – e o casal prosseguia,

De porta em porta assim, de agasalho à procura,

E desprezado fora em meio da lonjura,

Da noite, pois fortuna e luxo não trazia.

 

Completa é a lotação nas almas hoje em dia,

O prazer se amontoa, e vícios e urdidura...

Quando Cristo um lugar lhes pede com doçura,

Apontam com escarninho a rude estrebaria.

 

- Já não há mais lugar! – E entanto, Jesus

Com paciência caminha, espadanhando luz;

Ó dá-me, filho meu, ó dá-me o coração!

 

Na amplitude sidérea o celeste cortejo,

Como em Belém, outrora, exulta, benfazejo,

Quando uma alma perdida aceita a salvação!

 

Do livro O Natal de Cristo – Coletânea (1950)

(A POESIA DO NATAL-ANTOLOGIA-ORG. DE SAMMIS REACHERS-RJ)

Nenhum comentário: