domingo, 10 de fevereiro de 2013

TROVAS DE AMOR


TROVAS DE AMOR

      Filemon Martins

Sonhar, amor, é o que faço

todo dia é sempre assim,

por teu amor me desfaço

nesta distância sem fim.

 

Teus olhos são pequeninos,

fonte de amor, de paixão.

Parecem dois bailarinos

buscando a mesma emoção.

 

Pondo amor nas minhas trovas,

meu peito fica a cantar.

É que as minhas boas-novas

sem asas, querem voar.

 

Quem nunca teve um amor

jamais consegue entender,

porque num jardim sem flor

não há beleza ou prazer.

 


Caixa Postal 64

11740-970-Itanhaém-SP.

Nenhum comentário: