sábado, 6 de abril de 2013

POEMA, A MEU JEITO, PARA VOCÊ...


POEMA, A MEU JEITO, PARA VOCÊ…

 

Filemon F. Martins

Quanta saudade depois que você partiu.
Você, olhar meigo, sereno,
sorriso doce, encantador,
voz delicada e calma
que escreve na alma
um poema de amor.

Eterno sonho de felicidade,
promessa, carinho, segredo,
- ventura que chegou tão tarde,
- ventura que se foi tão cedo.

Saudades... eu me recordo ainda
a ausência, a mágoa, a dor infinda,
lembranças – por que não esquecê-las?
- Sonho de amor, de meiguice,
quantas palavras que não disse
e que é tarde demais para dizê-las.

 

Hoje, essa estranha saudade
chega em tom de confissão
para apertar-me o peito,
que reclama, insatisfeito,

porque tudo mudou quando você partiu.

E agora, nada me resta, a não ser
a eterna certeza de que nunca mais,
nunca mais terei alguém como você.

 


Caixa Postal 64

11740-970-Itanhaém – SP.

 

 

Nenhum comentário: