sexta-feira, 14 de junho de 2013

CONSOLAÇÃO


CONSOLAÇÃO

FARIA SOUTO

De quanto tempo data esta saudade?
- Naquela tarde calma em que partiste
ela veio, de manso, e, sem piedade,
pôs em meus dias este modo triste.

Desde então olho, sempre com ansiedade
para a estrada onde tu sumiste,
e vou passando, assim, a mocidade,
esquecido de tudo o que mais existe...

Não te assustes, no entanto, se padeço...
Pois sofrendo este mal que me devora
mais te estimo, te quero e te mereço!

E, sonhando que um dia hás de voltar,
vejo, aos poucos, finar-se a minha aurora,
e, tranquilo, envelheço a te esperar.

(BALI – LETRAS ITAOCARENSES, página 17)

Nenhum comentário: