sábado, 22 de junho de 2013

RELEITURA


RELEITURA

Fátima Abreu

Releio meus sentimentos,
São poças d água nesse momento:
Acumuladas no chão
Assim sou eu, nesse 'acúmulo' de desilusão...
Releio minha face:
Não tenho, nem quero usar nenhum disfarce...
Releio apenas o que vai no coração.
Triste sina, a minha!
De quando em vez, volto na mesma rotina:
Queria reler o meu livro da vida
Mudaria muita coisa, isso é certo.
Embora saiba que o destino tece sua linha,
E contra ele, ninguém pode.
Mas dessa forma, tão frágil quando um cristal,
Sou apenas uma menina.
Tecendo versos para esquecer,
A dor de nada poder fazer...

(www.prefacio.net)

Nenhum comentário: