quarta-feira, 17 de julho de 2013

SONHADOS GIRASSÓIS

SONHADOS GIRASSÓIS

JÔ TAUIL

Se a secura é de dar dó
Grande tempestade
Alimenta esperanças
De ver gerânios
Florescerem por fim

Mas...que nada!
Secaram as roseiras
Também as azaleias
Mas esperanças sobrevivem
A grandes estiagens

Violetas, não...
São frágeis, impulsivas
Logo, logo se entregam
Murcham...morrem

Sonhei girassóis
Como os do filme
Da Sofia Loren com Mastroiani
Mas contentei-me
Com pequeninas margaridas
Não posso me queixar
Tive uma vida florida

Não lamento o impossível
Tudo me acalma!
Porque aprendi a não andar
Sobre canteiros de vidros quebrados
Eles ferem os pés...
E, principalmente, a alma!


(www.prefacio.net)

Nenhum comentário: