sexta-feira, 26 de julho de 2013

TROVAS DE VANDA F. QUEIROZ


TROVAS DE VANDA F. QUEIROZ

Por mais que o progresso iluda,
deturpe e inverta valor,
o que Deus fez ninguém muda:
amor será sempre Amor.

Ao voltar do burburinho
da rua – a humana agressão,
a meiguice de um cãozinho
vem receber-me ao portão.

O peso do tempo é brando,
se carrego este preceito:
Ao poente vou chegando,
mas tenho auroras no peito.

Em frente à porta fechada,
bate a criança carente,
flor murcha, a custo vingada
na safra dos quase-gente...

(Do livro MOTIVOS E MATIZES, PÁGINA 18)

Nenhum comentário: