sábado, 28 de setembro de 2013

AMOR

AMOR 
Filemon F. Martins
 
MOTE 
Vou confessar-te, querida, 
porque tu és minha flor: 
por ti eu dou minha vida, 
por ti eu morro de amor. 
GLOSA

 
VOU CONFESSAR-TE, QUERIDA, 
já não tenho outro desejo. 
Só quero ver-te esculpida 
na moldura do meu beijo. 

Quero sentir teu carinho, 
PORQUE TU ÉS MINHA FLOR 
perfumando o meu caminho 
sem mágoas e sem rancor. 

Quero a Terra Prometida 
que vejo nos olhos teus, 
POR TI EU DOU MINHA VIDA 
sem nunca dizer adeus. 

E vivendo intensamente 
zombando da própria dor, 
posso jurar docemente: 
POR TI EU MORRO DE AMOR. 

filemon.martins@uol.com.br 

Caixa Postal 64 
11740-970 – Itanhaém – SP. 

Nenhum comentário: