sexta-feira, 27 de setembro de 2013

SONETO DO AMOR COMO UM RIO (Mário Quintana)

SONETO DO AMOR COMO UM RIO
         MÁRIO QUINTANA (Poeta gaúcho, 1906-1994)

ESTE INFINITO AMOR DE UM RIO FAZ
QUE É MAIOR DO QUE O TEMPO E DO QUE TUDO
ESTE AMOR QUE É REAL, E QUE, CONTUDO
EU JÁ NÃO CRIA QUE EXISTISSE MAIS.

ESTE AMOR QUE SURGIU INSUSPEITADO
E QUE DENTRO DO DRAMA FEZ-SE EM PAZ
ESTE AMOR QUE É O TÚMULO ONDE JAZ
MEU CORPO PARA SEMPRE SEPULTADO.

ESTE AMOR MEU É COMO UM RIO; UM RIO
NOTURNO, INTERMINÁVEL E TARDIO
A DESLIZAR MACIO PELO ERMO...

E QUE EM SEU CURSO SIDERAL ME LEVA
ILUMINADO DE PAIXÕES NA TREVA

PARA O ESPAÇO SEM FIM DE UM MAR SEM TERMO.

Nenhum comentário: