segunda-feira, 11 de novembro de 2013

TROVAS (MÁRIO RIBEIRO MARTINS)

TROVAS
MÁRIO RIBEIRO MARTINS

NÃO IMPORTA O QUE SE FAZ
PARA O CHICO XAVIER:
A ELE O NOBEL DA PAZ
E TUDO O MAIS QUE HOUVER.

QUANDO TE DEI MINHA VIDA,
ENTRE MIL VERSOS DE AMOR,
TORNOU-SE CLARO, QUERIDA,
EU NASCI VERSEJADOR.

DE VERSOS METRIFICADOS,
EIS A RIQUEZA DA TROVA,
COM QUATRO VERSOS RIMADOS
FAZ-SE AMIZADE E SE PROVA.

MESMO QUE SEJA QUIMERA,
SOU POETA E TROVADOR,
SEI CANTAR A PRIMAVERA,
SÓ FAÇO VERSOS DE AMOR.


(FRAGMENTOS DE “ANUÁRIO DE POETAS DO BRASIL”, RIO DE JANEIRO:FOLHA CARIOCA EDITORA, 1980) 

Nenhum comentário: