quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

MEU VERSO

MEU VERSO 

Filemon F. Martins 

Aqui cheguei para escrever meu verso, 
trago papel, caneta e o pensamento. 
Quero implorar à musa do Universo 
inspiração e amor no meu intento. 

Se este mundo se mostra tão perverso, 
quero a flor, o perfume e o sentimento, 
que o coração, contrito, esteja imerso 
neste festim da rima, o meu alento. 

Que a natureza, então, em vivas cores 
seja mostrada em todos seus valores 
e no meu verso não tenha rival. 

Minha esperança é ver a natureza 
amada, respeitada e com certeza: 
- meu soneto seria universal! 

filemon.martins@uol.com.br 

Caixa Postal 64 
11740-970-Itanhaém – SP.
 

Nenhum comentário: