terça-feira, 8 de abril de 2014

CURVA DO CAMINHO

CURVA DO CAMINHO
Filemon F. Martins


Eis-me chegando à curva do caminho,
onde vejo os escombros do passado:
a casa em que nasci, cresci, malgrado
o quarto de dormir em desalinho.

Não me faltou, porém, muito carinho
vivendo no Sertão injustiçado,
onde o “mandante” sempre desalmado
faz o povo sofrer, no Pelourinho...


No entanto, a vida é bela e deslumbrante,
mesmo que a estrada se apresente escura
sempre brilha uma luz ao viajante...


... E quando eu me tornar uma saudade,
minha alma esquecerá a desventura
para cantar, em verso, a Eternidade!

(DO LIVRO ANSEIOS DO CORAÇÃO, PÁGINA 110)


Nenhum comentário: