segunda-feira, 28 de abril de 2014

ELEGIA DO CAOS (ANTONIO CABRAL FILHO)

ELEGIA DO CAOS
ANTONIO CABRAL FILHO

O ritmo com que o vento
retorce arbustos
e sacode telhados de zinco
arrasta o lixo da urbis
ao longo das ruas
e deixa pessoas eufóricas
com tanta fúria
que fogem sem rumo
e na busca de refúgio
invadem lojas e lares
com súbitos saques e estupros.
...
Tudo feito em sincronia
com muita bala perdida
rumo ao alvo certo
acerto em hora incerta
sem o perigo da lei
e tudo tão repentino
que nenhum socorro
seria possível...
Mas vinda a paz
d,após a borrasca,
era noite.


(POSTAL CLUBE, ANTOLOGIA 15, PÁGINA 14)

Nenhum comentário: