sexta-feira, 11 de abril de 2014

MAR BRAVIO (JÔ TAUIL)

MAR BRAVIO
JÔ TAUIL

Meu barco cavalga
Em ondas bravias
No mar do desengano
Apresso-me no encontro
Acaricio seus cabelos 
Ponho em suas mãos
O coração que não foi meu
Levo comigo somente saudade
E a dor que me invade
Atinge o torpedo
De todos os medos
Enquanto o mar
Atropela o rochedo
Velas ao vento
Sentimentos também
E sigo sozinha
Aproximo-me da orla
Edifícios cambaleiam
Nas águas que desintegram
Os meus devaneios.


(Transcrito do site www.prefacio.net)

Nenhum comentário: